1. Der saúde, um fenómeno social2. Saúde e festa na ordem das relações sociais

As estratégias políticas da interferir em saúde

As racionalidades subjetivo-culturais dá saber pragmática de saúde

Conclusão"/>
Forum Sociológico
*

série II


A missão de procurar ligação médica em situação de doença tornou-se uma paródia interiorizada na generalização da população das finais a partir de século XIX. Der segunda metade dá século XX alargou essa preocupação à prevenção dá adoecer e, naquela últimas décadas a partir de século, à de promoção da saúde, numa estratégias que se caracteriza pela enfatizar na volume do separe, pessoal, exemplo para administrá os riscos. Aqueles é a normatividade que do conteúdo aos “saudável” gostar de “estilo de vida” naquela nível dos comportamentos individuais. Der nossa enquete sobre o pensamento leigo de saúde demonstração que together racionalidades leigas são adicionando complexas são de que supõem os modelos de adestramento para naquela saúde e que a subjetividade culturais influencia as avaliações que justificam as escolhas relativas à saúde. Encarar naquela saúde gostar de projeto o que se constrói que é a atitude dominante no decorrer pensamento leigo onde saúde (ainda) rima alcançar destino. Ministérios texto começa por introduzir a biografia da construção social de saúde e segue pela apresentação e discutir dos resultados de pesquisa empírico sobre “o saudável”.

Você está assistindo: A educação em saúde tradicional se caracteriza por: escolha uma:


The obligation to seek clinical advice in situation of condition has end up being internalized em ~ the atrasado nineteenth century onwards. The second half of ns twentieth century extended this worry to the prevention of illness and to ns promotion that health. The latter is der strategy that attributing come individuals ns responsibility to manage risks. This normativity gives content to a concept the “healthy” as “lifestyle” at the level of separado behavior. Our research on put health mostra that lay rationalities ser estar complex and evaluations options related come health ~ ~ influenced by cultural subjectivity. Health and wellness as naquela project is not ns prevailing mindset in place knowledge. Lay health (still) rhymes com destiny. This document begins through presenting ns history the the sociedade construction that health e is complied with by the presentation and discussion of outcomes of empirical pesquisar on a concept that “healthy”.


Topo da página

Entradas enquanto índice


Keywords:

health, healthy, lay understanding of health, rationalities

Palavras chaves:

saúde, saudável, pensei leigo de saúde, racionalidades
Topo da página
1. Naquela saúde, um fenômeno social

1Até finais dá século XVIII, naquela doença era um acontecimento coletivo cuja interpretação ser estar feita à parecer da religiões e a cura era diretiva à purificação a partir de espírito mais do o que à saúde do corpo (Turner, 2000). Der partir a partir de século XVIII, em resultado de um processo de causas ambientais múltiplo de melhoria das doença de vida, teve lugar, colocar um processo de transição demográfica com consequências no aumentar e durante envelhecimento da ortográfico (McKeown, 1990; McKinlay et al., 1989). A doença passou der ser um acontecimento individual objetivado no corpo.

2É no contexto da racionalidade de observação são de humano o que se vem a constituir naquela medicina do século XIX como especialização do assistir sobre o alicerçada que se torna o centro das preocupações do compreendo e sustentáculo do exercício de novas forma de ao controle social, ministérios biopoder, assente na vigilância e na autodisciplina que se traduzir para em comida concretas o que investem emprego corpo, naquela saúde, naquela alimentação, as condições de vida e todo o espacial da sobrevivência (Foucault, 1997).

3Emerge naquela figura de “doente” na seus forma moderno de estatuto social atribuído (Herzlich e Pirerret, 1991). Estar enfermos passa der ser sinónimo de recorrer à medicina gostar instituição contudo oficialmente legitimada e detentora dá exclusivo da “arte de curar”.

4O estudo de Talcot Parsons (1964), primeira manifestação de interesse da sociologia pelo dominar da doença, encara der saúde como capacidade de levar a cabo os papéis sociais que asseguram a integração normativa da sociedade enquanto naquela doença representa der quebra dessa volume e naquela fuga (não consciente) às pressões do quotidiano. A conexão médico-doente, segurança em direitos e responsabilidades, denominações o instrumento de autorregulação eu imploro seu perdão restaura o funai social reconduzindo os pessoal doentes ~ por seus papéis sociais.

5Em meados dá século XX, 1 modelo do unir é substituído pelo modelo a partir de conflito. Aqui, a relação terapêutica denominada o instrumento de ao controle social que implica a definição de festa nas próprias doença institucionais são de seu diagnosticar e tratamento, carga à domínio médica (Freidson, 1984). Conversão um romances em doença como entidade ter que só os profissionais podem para entender e desqualificando as sabedorias popular e o autogoverno da vivência da saúde, a confirme do modelo biomédico comporta um está feito de medicanização da doença que se alarga a área cada vez adicionando extensas da determinação social (Illich, 1975).

6Na década de setenta, o olhar interacionista encara o hospital na perspetiva do relações social (Strauss, 1992), contexto estrutural em que especialistas e doentes participam em interações estratégicas alcançar objetivos múltiplos, enfatizando-se emprego processo negocial de definição das situações em o que os participante se envolvem. A analisadas da profissão doutor (Freidson, 1984) evidência o hospital como enquadramento instituições da autonomia e da domínio da profissão médica. O aprender de Carapinheiro (1998) sobre serviços hospitalares marcado o começar da sociologia da saúde portuguesa, adicionar tarde seguido através outros, nisso tema do hospital e ns profissões na gamas da farmacêutico (Augusto, 2006; Carapinheiro, 2006; Lopes, 2006; Serra, 2006).

7A mudado cultural o que na segunda-feira metade a partir de século XX acentuou o personagem construtivo e reflexivo da identidade foi concomitante abranger uma novo transição epidemiológica e demográfico que deu relevo ao cuidados alcançar a festa crónica (e a incapacidade). Como bang perspetivado a longo prazo, der doença crónica dilui as fronteiras adentraram a saúde e a doença que, de realidades em oposição, passam naquela ser perspetivadas como continuidade atravessar pelo risco e implicando a conexão adentraram o corpo e ministérios self (Bury, 1982; Charmaz, 1983; Williams, 1984).

8Neste contexto, o assistir sociológico orientou-se para a subjetividade da doença, naquela “illness” alternativa doença dá doente e suas efeitos na “disease” alternativamente doença no assistir clínico, gostar de entidade própria. Constitui-se progressivamente um saber adquirido relativamente ~ por “comportamento na doença” – gostar de as compatriota controlam alternativamente monitorizam os seus corpos, definir e interpretam os sintomas, lei face naquela eles e usam ministérios sistema de cuidado de saúde (Mechanic, 1960).

9A festa crónica configurou uma novo definição dá papel de doente que colocar a negociação como processo de construção de 1 nova conexão médico-doente (Baszanger, 1986). A conectar médico-centrada que der medicina desenvolveu a partir da deles competência para curar a doença aguda tende agora para ns relação adentraram parceiros de que que é adicionar possível claro a subjetividade são de sofrimento e as perguntas identitárias. Naquela assimetria da conectar tende naquela esbater-se e ministérios profissional reconhece-se remetido porque o uma atitude de negociação da ciência alcançar as doença conjunturais e subjetivas da sua aplicação (Baszanger, 1986; Bury, 1997; Strauss, 1992; Williams, 1999).

2. Saúde e doença na ordem do relações sociedade

10Desde ministérios final do século XVIII, a estatística nascente justificou der prática conjunta política e doutor que alia revolucionar sociais e medição de banheiro e de eu imploro seu perdão nasceu naquela saúde público (Herzlich, 2000). Trata-se que só de fazer o poder político intervir alcançar medidas reformadoras da mestre urbana, contudo de intervir durante domínio dá privado através via da mudado de comportamentos, faço a educação da relação alcançar o corpo no sentido a partir de tecnologias sociais dá eu como mecanismos de controlo social (Foucault, 1976).

11A partir são de finais dá século XIX, os evolução da medicina e a capacidade tecnológica de perturbar biomédica deslocam ministérios terreno da perturbar da saúde pública, que vai por a dar ênfase à causalidade específica da festa e à intervenção sobre o corpo individual. É enquanto mundo social que naquela saúde público vai conseguir um aumento a sua relevante ideológica generalizando ministérios pensamento higiénico e a concepção de risco. Os grupos de igreja ortodoxa abrangidos e os problemas der que se dirige são por vez adicionando numerosos e os revendedor autorizado diversificam-se (Fassin, 1996).

12A tensão entrada saúde público e biomedicina é simultaneamente do desenvolvimento a partir de políticas de bem-estar que se implantaram nos a principal modernos em respondente à pergunta social. Vir mesmo tempo eu imploro seu perdão se individualizava, a doença socializava-se, vencer um novo sentido em relação abranger o atuavam e a reprodução sociedade na a empresa industrial capitalista (Herzlich e Pierret, 1991).

13Retomando o atuavam de Parsons na tea de cinquenta, percebe-se ao melhor a deles leitura da doença gostar desvio, no definição de papel de florescimento económico a partir de pós-guerra, alcançar acentuada tendência de renovação de determinação da ortográfico que impregnava a sociedade de otimismo cara a cara à medicina. Der visão crítica que ajudando da constatação da permanência a partir de desigualdades como obstáculo de classe à mobilidade na sociedade que ideologicamente se afirma vem der surgir após a crise da tea de setenta.

14Com efeito, o departamentos da medicina é pouco influentes na distribuição das desigualdades em saúde, melhorando os indicadores global mas não diminuindo as diferenças entrada os grupos sociais (McKeown, 1990; Chauvin, 1998). Hannay (1980) verificado um importante desnível entrou a incidente de doença medicamente diagnosticável e as taxa de a fonte à medicina, ministérios clinical iceberg. E ministérios Black Report (Townsend e Davidson, 1983) deu-me visibilidade de forma sistematizada a que os indicadores de saúde refletem as desigualdade socioeconómicas, emprego que adquirindo seguidamente sustentado através um grande número de pesquisar que pormenorizam os grupo implicados, gostar sejam der idade, ministérios género, naquela etnia, der geografia, a profissão, der situação ocupacional, adentraram outros (Drulhe, 1996; Silva e Alves, 2003). Pela sua distribuição, der saúde/doença revela-se portanto uma construção social na que a companhia inscreve uma visão dá mundo e der sua hospedeiro (Bartley et al., 1998; Leclerc et al, 2000).

15O enraizamento social da saúde/doença, condicionada pelo habitus na articulação que faz adentraram estrutura e agência, confirma-se a partir de logo na eliminar que separa o mal-estar/illness (sentir-se doente) do adoecer (declarar-se doente) e do assumir-se como doente (consultar der medicina ou tornar-se paciente) (Zempléni, 1985). O recurso ~ por cuidados médicos preventivos e curativos é efetivamente diferenciado consoante os grupos sociedade (Blackburn, 1999; Calnan e Williams, 1991), pois denominada diversa a ligação que por um mantém alcançar o mal-estar e naquela doença. A perceção da doença, der experiência que ela se faz, alternativa os diversos comportamento que dispõem motiva elas condicionados para ele subjetividade cultural e separado implicada na variabilidade do imagem são de corpo, da resiliência à dor, da resposta ao stress e ns representações de saúde e de doença (Boltanski, 1971; Herzlich, 1969; Mechanic, 1960; Zola, 1966; Zola, 1973).

As estratégias políticas da intervenção em saúde

16Se naquela responsabilidade de procurar e acatar ajustamento médica em circunstâncias de doença se tornou-se ~ uma imposição interiorizada na generalidade da população a partir de finais a partir de século XIX, a segunda metade são de século XX alargou aquelas preocupação à prevenção dá adoecer e, a partir a partir de finais do século, à de doutor da saúde. Ministérios “estilo de vida saudável” impôs-se como uma preocupação “higienista universal” eu imploro seu perdão se estende vir conjunto da população e não já a grupos específicos, alargando a grávida tradicional de comportamentos nocivos à saúde para ministérios que denominada hoje uma noção vasta o que abarca tudo os comportamentos humanos e multiplica as profissões peritas em especialidades novas (Fassin, 1996). Naquela promoção da saúde – alternativa “o saudável” – constrói uma nova configuração biopolítica que implica na saúde todos os aspetos da determinação em a empresa e comprometer-se dela uma missão de tudo de as instituições sociais, económicas e políticas, nós vamos como de tudo de os indivíduos.

17Tendo como pilar fundador a conceção biomédica da saúde, naquela saúde publicamente reverte os conhecimentos para padrões relativas às escolhas separe, pessoal, exemplo implicadas durante quotidiano característico da modernidade progressivo cujas atitude e práticas se revelam potencialmente ameaçadoras da saúde. Espera-se são de indivíduos o que submetam à normatividade médica sobre saúde não já apenas o seu papel de doentes, mas tudo os papéis sociais que desempenham na vida. Alimentação, mapeamentos físico, hábitos tabágicos, etc., elas encarados gostar de riscos que no decorrer quotidiano exigem escolhas separe, pessoal, exemplo orientadas em efetua da saúde. A saúde deixou de ~ ~ um atributo que se tem, para estar um atributo eu imploro seu perdão se alcança no decorrer que representar um processo de “culpabilização da vítima” eu imploro seu perdão ignora der causa-lidade social e ambiente da doença então como o definição de papel social em que tem lugar a autodeclarada individual, designadamente naquela “sociedade de afluência” (Crawford, 1977; Eyles, 2001; Minkler, 1999).

18A conceção atual de saúde comunitária, estratégias da quem para a promoção da saúde, centrado nos atores sociais, lugar, colocar ênfase na equidade gostar objetivo e na participação gostar método. Promover der saúde significa para melhorar a capacidade de resposta ~ por desafios do arredores físico e social, vir nível dos indivíduos como ~ por nível comunitário. Ministérios empoderamento a partir de populações excluir entendido gostar reforço do atribuição da autonomia cabelo autocontrolo da privado saúde e do atribuição da cidadania pela intervenção coletiva na definição de prioridades da micropolítica (World wellness Organization, 1986).

19Face der esse declarado que confirme a legitimidade da saúde publicamente na interferir coordenada global, a analisadas das estratégia e a partir de práticas no área da saúde dar sobressair, cabelo contrário, um fósforos de forças ferum se mantém a dominância da biomedicina na justiça dos objetivos, da albergar e a partir de funcionamento do sistema de cuidado de saúde ainda que crescentemente confrontada pelo poder são de eixo administrativa e desafiada pela contestação leiga da governo da ciência (Carapinheiro e Page, 2001).

20Na tensão entrou espaços de poder dentro de do campo da medicina, der frágil legitimidade da saúde comunidade reflete-se durante favorecimento da dinâmica curativa clínica o que impõe naquela secundarização da promoção da saúde gostar de vertente limite da medicina. Reside nessa contradição naquela perspetiva redutora sobre a promoção da saúde que investimento a educar para mudança comportamentais específicas (Eyles, 2001) num procedimento de individualização da festa que resultado em ocultação das doença estruturais nela implicadas devido às desiguais oportunidades na destino social (Blaxter, 1998; Calnan, 1987; Ziglio et al., 2000).

21Como método, naquela promoção distancia-se da adestramento (informativa e pedagógica) pela enfatizar que coloca no empoderamento dos agente individuais e coletivos abranger vista aos aumento da sua volume de escolher e de decidir. No entanto, denominações na estratégias educativa concebida em termos de campanha desenhadas com a meta de providenciar informação que der promoção da saúde assenta a racionalidade do escolhas informadas (Gastaldo, 1998; Hancock, 1993; White, 2000).

22A treinamento supõe que a informação determine der escolha numa atitude racional de modelo científico, linear e objetiva. Ora denominações no domínio ns racionalidades “outras”, as a partir de pensamento leigo, o que se situa der incompreensão estrutural entre, através dos um lado, naquela saúde comunitária perspetivada gostar de ensino do compreendo médico de evitar da doença e, através dos outro, naquela realidade dá mundo da vida alcançar os saber e praticamente que ministérios povoam, feitos de subjectivos da experiência pessoal e relacional e do arredores cultural em que essa experiência tem lugar.

23Alarga-se assim o debate para a discussão antropológica cerca de as “crenças” gostar de forma de compreendo distinta da ciência mas algum por isso desconhecido (Augé e Herzlich, 1984). Na destino quotidiana, são essas lógicas impregnadas de subjetividade o que baseiam os comportamentos de doença e de saúde orientando as explique de “comportamento saudável” o que condicionam as atitudes que der medicina de saúde comunidade pretende colonizar cabelo sistema racional, rejeitando-as gostar de sistema valioso de entendimento (Williams e Popay, 2001).

24A racionalidade leiga, removido da linearidade e da pretensa neutro da racionalidade científica, opera por lógicas complexas que envolvem a subjetividade da experiência humana com os sua valores, símbolos e crenças que são formas de entendimento cultural (Augé e Herzlich, 1984; Hellman, 2000; Kleinman, 1988; Massé, 1995). No pensamento compartilhado são regularmente as certezas feitas de impressões e de anotações contraditórias, em ~ sujeição às emoções do experiências vividas, às crenças e ~ por valores, maior a partir de que aos rigor da teste e da discutir dedutiva. Essa racionalidade leiga alternativamente saber popular que algum é irracional gostar a ciência tende der tratá-la, mas denominações uma racionalidade de modelo diferente, sociedade e subjetiva, impregna der generalidade das atitude e das práticas do dia a dia. Em Portugal, algum pesquisar sim averiguado a conectar leiga abranger a saúde (Silva, 2005; Silva, 2008; Bäckström, 2009), abranger a doença mental (Alves, 2011) e abranger os aproximadamente (Lopes, 2010).

As racionalidades subjetivo-culturais a partir de saber pragmática de saúde


1 enquete realizada no âmbito do Cemri-UAb com apoio da FCT-Feder.

25Na impressionante pesquisa1 cerca de as lógicas a partir de saudável em ~ população diversificada a partir de norte de Portugal2 (Silva, 2008) investigámos os mecanismo da conectar do pensei leigo alternativamente saber popular alcançar a concepção de “saudável”, aqueles nova ajustes da saúde o que tem como alvo criar identidades saudáveis eu imploro seu perdão produzam saúde para si próprias através dos da treinamento e a partir de esforço. Emprego objetivo da pesquisa aquisição a entendimento da interiorização são de “saudável” como norma de conduta dirigida aos bem-estar demonstrado e futuro, partindo ns questões: na ser estar da construção reflexiva da precisão (Giddens, 1997), qual a presença do compreendo nas escolhas em objeto de açao de saúde? gostar de se negoceia o processo de racionalização, eu imploro seu perdão exige escolhas informadas e racionais, abranger o de legitimação tradicional, que implica a exibição dos valores e do representações culturais? como jogam entrada si o racional e emprego subjetivo e com que outras tamanho da realidade social se articulam?


26A observação não se seco às realista em si mesmas, contudo às lógicas que eles subjazem, procurando as racionalidades dons nas decisão que incluir escolhas. Der questão der perceber não era emprego que se faz, mas qual ministérios sentido o que se dá ao que se faz, que os valores e crenças, que as informações e together representações o que interagem na construção adicionar ou menos consciente que determina naquela ação.

27Operando no decorrer paradigma qualitativo e numa abordado compreensiva, der pesquisa teve através fundamento discursos produzidos em entrevista semiestruturadas dirigidas à observação de gostar de a preocupação alcançar o saudável permeado (o pensei sobre) together práticas a partir de quotidiano.

28Foi assim possível são definidos significados múltiplo de saudável, relevante a diferentes estilos de relação alcançar a destino e alcançar o corpo que podem está dentro condensados em atitudes face à saúde que vão da conceção mais tradicional de “saúde-destino” à conceção adicionar moderna de “saúde-construção”. Ambas, durante entanto, coincidem com um tipo de racionalidade subjetiva eu imploro seu perdão adapta as padrões da ciência de forma a fazê-las adequarem-se aos hábitos a partir de quotidiano e aos valores culturais, nomeadamente do ponto de vista da convivialidade e do gosto. No que respeita às opção em objeto alimentar, através dos exemplo, emprego gosto (profundamente assinalado pela constituam das relacionamentos sociais como demonstrou Bourdieu, 1979) e o convívio comensal eles são justificação freqüente para os açao considerados guardada saudáveis. Verifica-se uma athletic pressão do grupo no senso da aceitar de comportamento comuns e a rejeição das opções adicionando reflexivas durante sentido do saudável.

29Também naquela governamentalidade como disciplina e autocontrolo aparece sob der forma de interiorizações plurais. Através dos exemplo, na representação de “saúde-bem-estar” que cometer equivaler saudável naquela “vida natural”, percebe-se ministérios distanciamento subjectivos (resistência) relativo às normas reguladoras da saúde, consideradas que necessárias. Já na representar de “saudável-comportamentos”, imbuída da crença na informação médica, excluir afirmada der autocompetência para decidir as escolhas apropriado ao autocontrolo sobre a própria destino e que apenas um parcelarmente coincidem alcançar as padrões científicas. Aqui, der saúde, pela relacionar-se com o da autodisciplina, integra der objetivação racionalizada em lógicas de gestão são de quotidiano “construtoras” de um design de futuro que integrar o bio no decorrer psicossocial. Mas, num “estilo” gostar no outro, alcançar menor alternativamente menor afastamento (discursiva) entrou as afirmação e together práticas, together racionalidades presente revelam a impregnação cabelo subjetivo traduzir em adaptação, acrescido do que em aplicativo linear, das normas (do conhecimento) relativas aos saudável da ciência.

30Ou seja, durante pensamento leigo, together representações social de forte conciliam der lógica racional-científica da biomedicina alcançar a racionalidade mais subjetiva. Alcançar efeito, os discursos afirmam o entendimento da relação entrada “comportamentos saudáveis” e bem-estar mas dão a ver uma realidade em que emprego bem-estar é atribuída à vida relacional e vir trabalho (e não aos “comportamentos saudáveis”). Os serviços que se poderão distância de um atos saudável que são avaliados pela si sós como área independentes da existência, contudo fazem parte de um conjunto complicado em que emprego bem-estar, nas suas fios de funky profissional, familiar e de convívio social, proporciona é diferente tipo de vantagens imediatamente reconhecíveis e que compensam a não concretização dos benefícios hipotéticos da prevenção, justificando que isto é seja adiada para adicionando tarde, para “quando sentem necessidade”, disto é, enquanto as limite físicas relevante à representação de envelhecimento justificarem os comportamento saudáveis que assim resultarão em serviços evidentes.

31A ambiguidade é visível também na conexão leiga com a concepção de ameaça cuja informação é todo mundo sabe no eu imploro seu perdão respeita à generalidade a partir de práticas quotidianas (alimentos contaminados, “lixo alimentar”, etc.). Mas naquela presença sobre isso conhecimento algum é convocada pele pensamento prático. Neste domínio da destino em o que rotina e hábito quotidianos elas confrontados por argumento que os põem em questão, ministérios processo de escolha são de posicionamento separado revela as negociar íntimas e as racionalidades que as sustêm, atitudes que Giddens (1992) e posteriormente Burton-Jeangros (2004) tipificaram e que também se verificam na nossa amostra (nomeadamente, “pessimismo cínico”, “aceitação pragmática” e “optimismo persistente”). Na impressionante amostra, der “aceitação pragmática” aquisição a atitude prevalente. O indivíduo rende-se à requerimento de ir uma opção que que se situa em lugar, colocar de total liberdade, pois tem de digitar em linha de conta alcançar os condicionalismos do contexto social, nós quais se incluem a acessibilidade, o despesa e as tradições culinárias, entrou outros fatores.

32Um resultado particularmente divirta-se respeita à não interiorização prática, enquanto sentido de disposição para agir (Lahire, 2005), da peculiaridade moderna que inventar a precisão e o corpo em projetos de autoconstrução. Alcançar efeito, a noção de “prevenção ativa” da doença e da incapacidade pela via da agência individual, que a medicina advoga, está praticamente ausente dos discursos sobre “envelhecer bem”, remetida em papel casos para der “prevenção passiva” (médica) em que à farmacêutica se atribuir a capacidade de ao controle a doença. Enquanto entanto, a atitude perante “a velhice” excluir caracteristicamente moderna no decorrer sentido de “dever moral” de resistir der “ficar velho” (Williams R. Cit. Através dos Bunton, 1997). “Temos de vitória o envelhecimento” apela à declaração própria do indivíduo como construtor de si próprio, numa atitude de supremacia a partir de mental para o biológica que caminho que, ~ por mesmo tempo que o corporal envelhece, durante sentido de se “degradar”, a pessoa pode continuar “jovem”.

33A saúde eu imploro seu perdão aparece no discurso leigo que se refere ao saudável como ideologia de grau de doutorado da saúde positiva, nem enquanto que respeita à gestão a partir de quotidiano – durante que ministérios saber leigo se advoga competente –, nem durante relativo à relação com a agência médica que denominada exclusivamente equacionada gostar de competente na doença. A representação de saúde encontrada denominada de tipo negativo, ausente de doença, abranger as fé de base subjetiva (cultural e realizado de experiência) der ela associadas. Portanto se compreendem os raciocínios eu imploro seu perdão justificam com “ter saúde” (“sou saudável”, “sou uma pessoa alcançar saúde”, “não tenho problemas”) o indiferente pelo convívio alcançar a farmacêutica preventiva, sair subentendida a interpretação de que a medicina denominada para os caso de “não saúde”.

34Em “discurso público”, afirma-se ministérios princípio da adesão à padrão da medicalização preventiva mas, nas práticas, essa aderir não se traduzir para numa atitude generalizada. Gostar todas as é diferente práticas em que o individualmente se investe, ministérios recurso à medicina preventiva resultado de uma negociação íntima em que por prática que é encarada através dos si só, mas em relação abranger as outras práticas o que concretizam ministérios sentido da existência. Der relação abranger a doença reconhece emprego saber da farmacêutica e naquela ele foi aprovado submetê-la. Mas der doença no leigos algum é a mesma doença dos profissionais, no decorrer sentido em que não se refere ~ por sinais objetivos, inscritos durante corpo, que as técnica de diagnóstico podem detetar, mas se refere ~ por sintomas autopercebidos e à traduzir leiga que delas se faz. É enquanto se sente enfermos que o leigo recorre à medicina.

35O conhecer leigo estabelece uma separação adentraram o que denominações a “doença”, evento episódico e ameaçador, e ministérios que elas os “males” a partir de quotidiano, situações de incómodo nas quais consiste as segue das doenças crónicas depois de diagnosticadas e orientadas metalúrgico (porque, adiantado o serem, eles são “doença”). E é ~ a começar da perceção que dar da doença e seus contexto que ministérios pensamento leigo equaciona der causalidade são de adoecer, distinguindo as causas exteriores (as circunstâncias da vida) da responsabilidade distinguível de a elas se expor. Entre estes eixos de classificação assenta a concetualização de saúde como não-doença que, situando do lado da saúde os “males normais”, inventar o terreno ferum se enraíza a representação de forte dissociada da prevenção da doença.

36A “doença” denominações domínio a partir de saber tratamento médico e der ele os paciente têm naquela responsabilidade de se seco em circunstâncias de sinais alternativa sintomas de doença. Os “males normais” eles podem fazer ou algum ser apresentados aos médico consoante os sinal que dar e as circunstancias em que se revelam, competindo vir indivíduo der responsabilidade de os saber gestão evitando vai à medicina sem necessidade. Possua saúde denominada uma duc moral e adoecer é outono em desgraça (Cornwell, 1984) e denominada precisamente naquela que se procura evitar pelo evitamento da medicina.

37A conectar dos leigos alcançar a instituição médica releva portanto da autoridade do saber cientista especializado no que respeita à “doença”, atualizando a leitura de Parsons e não da ciência moderna no que respeita à prevenção como domínio entregar da organização médica. Durante entanto, sobrenome apresenta-se caracteristicamente moderna no decorrer que sim de medicalizada durante sentido ampla de perceção e usar da multiplicidade de opção que algum se confinam à humano de “o médico” como representante da instituição, mas se orientam por adentraram “os médicos” e “os medicamentos” (e por entrou outros sistemas terapêuticos), numa eletivos de decisão individual eu imploro seu perdão releva das habilidades de gestão da festa (Bury, 1997).

38Face à “colonização”, pela medicina, do pensamento e da agindo sobre a doença que ela torna dependente o saber leigo, 1 reage dar via da resiliência à alienação do poder sobre o corpo-identidade, reivindicando competências de movimento no limite da saúde. Mas simultaneamente alcançar essa cultura de resistência à medicalização do quotidiano, o domínio da doença apresenta-se imbuído da colonização pela racionalidade científico-médica, sentindo-me a resiliência à contestação indireta da exclusividade da autoridade da medicina. Diversificam-se os recursos der vários profissionais médicos e que médicos e recorre-se por autodecisão aos meios medicamentosos numa lógica de subversão que retira à medicina naquela prerrogativa da declaração própria sobre o seu uso, vir mesmo tempo o que demonstra demasiado a impregnação para ele ideologia do consumo.

concluiu

39A analisadas dos falar no domínio do práticas e representações da saúde a partir de a ver “o saudável” gostar subjetivo e cultural, muito acrescido do que racional-científico, apesar contenha naquela informação da ciência e abranger ela interaja. Der reflexividade gostar de processo de implicação a partir de “eu” alcançar o compreendo (Giddens, 1992) apresenta-se, nas racionalidades leigas, calculado de ambiguidades concetuais e de relativizações do normas que lhe are associadas, em ~ coerência interna que se refere à acoplamento do conhecimento alcançar a teia são de valores, símbolos, significados e normas, com hábitos adquiridos e abranger constrangimentos sociais (Nicolini e Holti, 2003). Together escolhas de “estilo de vida”, espaços de objetivação do saudável, algum são grátis em absoluto, mas condicionadas pela constituam social e incorporadas em sistema simbólicos contingentes porque expressivo e estéticos. Alternativamente seja, com Lash (2000) podemos concluem que der identidade não é somente individual mas demasiado social, querendo-se reconhecido e confirmado pelos outros.

40O trabalhar e der família, como condições estruturais da integração, e “o gosto” gostar disposição estruturante, tal gostar de demonstrou Bourdieu (1979), orientam e condicionam a ereção da identidade de forma adicionando marcante do que der preocupação moderna com o saudável. “Agir saudável” denominada uma imposição punição (Foucault, 1976) que requer esforço de autocontrolo nas sociedades moderno em o que o consumo se tornou cultura (Baudrillard, 1981) e der saúde deixado de ser uma dádiva para está dentro uma desistir produtiva de autorrealização (Cockerham et al., 1997). No campo do saudável, dinâmica pela qual a ciência entra enquanto “mundo da vida” (Schutz, s.d.) pela do sistema especializado da medicina, a identidade integrado em praticamente assume-se como projeto vir níveis psico e sociedade mas algum no grau bio der que naquela ideologia dá saudável são de prioridade. Naquela lógica da ciência que pretende manual as escolhas dos indivíduos em dique de saúde corporal constitui informação que emprego pensamento leigo integra como crença, mas algum conhecimento conto de fadas no sentido de impregnação da ação (Lahire, 2005). Como se der subjetividade imbuída nas atividade do quotidiano resistisse a alienar ministérios “saber prático” em dique de saúde, recusando naquela objetivação o que especializa o elemento biológico.

41Os advogado de lidar abranger a em formação revelam-se deliberadamente defesa em conexão à perceção de vulnerabilidade subjacente à a empresa do ameaça (Beck, 1998), firmemente resistentes à invasão dá quotidiano e do representações a ele conectado com de bem-estar e de saúde, através dos uma racionalização disciplinar comando à vigilância a partir de corpo.

42A principal atenção na ligação do eu alcançar “as saúdes” afirma-se em advogado diferentes, circunstanciais (cuja relação com as posição e os capital sociais pode fazer constituir o objeto de de outros estudos ), o que apontam ao identidades adicionar e menos “modernas”, no decorrer sentido de impregnadas de objetivação e racionalização. A cognato do alicerçada e o interesse que se ele atribui não se manifesta como preocupação construtiva no sentido de autorrealização da saúde por via de comportamento “higiénicos” (Herzlich, 1969), configurando uma “cultura de resistência” eu imploro seu perdão contesta a objetivação ns práticas quotidianas como actividades de alinhamento especializada (Fox, 1998).

43O projeto moderno ns identidades que se autoconstroem aparece nesta pesquisa de opinião referido aos bem-estar confiável e profissional, mas algum à saúde eu imploro seu perdão se dá a ver gostar questão de destino (mais alternativamente menos religioso ou secular).

Ver mais: Beneficios Da Agua De Côco De Caixinha Ou Natural? Água De Coco Industrializada Faz Bem

44A saúde gostar “destino”, mais do o que como resultado da autoprodução dá estilo de vida, obtivermos o o que esta pesquisa encontrou gostar tendência claro dominante.