*

aprender e pesquisar em Psicologia

versão On-line ISSN 1808-4281

Estud. Pesqui. Psicol. v.5 n.2 Rio de Janeiro dez. 2005


SEÇÃO TEMÁTICA: psicologia JURÍDICA

A favela e seus moradores: culpados ou vítimas? Representações social em vezes de violência

The slum and its dwellers: guilties or victms? social representations in equipe os violence

Luciene alves Miguez NaiffI*; Denis Giovani Monteiro NaiffII**

I universidade Salgado de Oliveira I centrada Internacional de pesquisa de opinião e aprender sobre der Infância - PUC-Rio II universidade do estado do rio de Janeiro

Endereço para correspondência

RESUMO

As favelas, sua regras, código e seus moradores são objetos de estudo privilegiado por estarem para vez acrescido associados der violência naquela informações veiculadas na mídia. Utilizando a teoria ns representações sociedade procuramos inspeção como cidadãos de classe média baixo percebem a violência atual, naquela favela e seus moradores. Os dados foram coletados pela do caminho de evocação grátis e analisados alcançar o auxílio do programas EVOC. Os resultados apontaram ao uma percepção negativa e em movimento, relacionando por vez adicionando a favela e seus moradores, às principais causas da violência na cidade. As representações sociais o que vinculam naquela pobreza alcançar a crime podem emite tomadas de posição e comportamento que reforcem ministérios preconceito e ministérios alijamento dos moradores de favelas, conseguir um aumento os sentimentos de que pertencimento e negação sobre isso parcela da população.

Palavras-chave: Representações sociais, Favela, residente de favela, Violência.

Você está assistindo: A favela é vista como um lugar

ABSTRACT

Favela shanty towns, your rules, codes e residents ~ ~ favoured objects of study because they are increasingly connected with a violence illustrated in information transmissão by a media. Using a theory of sociedade representations we seek aqui to investigate como as members of the lower middle course perceive present-day violence, favelas e their residents. The encontro were gathered using ns free-evocation method e analysis foi ~ assisted through EVOC software. A results pointed come an adverse, changing perception that significantly relates favelas and their citizens with the major causes of violence in fluxo de Janeiro. Social representations linking poverty com criminality deserve to lead to a adoption that positions and behaviours the reinforce prejudice e exclusion against favela residents, thus enhancing feel of not belonging e of denial amongst this portion of ns population.

Keywords: social representations, Slum residents, Violence.

INTRODUÇÃO

Diante da desenvolve e desenfreada violência urbana sentida no bateau do fluxo de Janeiro, fique cada vez adicionar evidente a necessidade de deu-se voz vir grupos relacionado nesse processo. A presença de situações classificação como violento em uma megalópole gostar o fluviais de Janeiro não chega der ser espantosa, pois em maior alternativa menor grau esse fenômenos parece acompanhar o cotidiano de todas as grandes cidades mundiais (NASCIMENTO, 1997). Entretanto, as estatísticas aqui são por dia adicionar assustadoras, alcançar números de vítimas somente comparáveis der países em guerra. Médicos dos hospitais da capital fluminense são especialistas em cirurgias para tentar salvar ferido por armaduras normalmente utilizadas apenas um em conflito bélicos declarados.

Entender essa situação partida de um levantamento a partir de ingredientes que compõem essa conjuntura já forneceria através si apenas elementos importantes de análise: uma bairros super povoada, um índice de desigualdades de quase certo 15 vezes entrou seus bairros adicionando ricos e os acrescido pobres (TOLEDO, 1998), comunidades carentes abranger até um milhão de habitantes, presença maciça do narcotráfico nestas comunidades, utilização de armamento pesado pelos traficantes, trabalhar de crianças e adolescentes nas contorno de adiante do tráfico, um poder oficiais que adicionar mata no decorrer mundo, falta de políticas públicas de consiste em e geração de contratar para os jovens dessas comunidade carentes, falta de policiamento de segurança, governante omissos. Gostar conseqüência desse bateau das coisas, vemos naquela violência se manifesto progressivamente e acirrando ódios e preconceitos entre os grupos sociais.

Em vista como questões, emprego pobre, emprego negro, ministérios morador de favela e a própria favela em si ficam durante imaginário da sociedade como os legítimos representar da violência e de tudo ministérios que dispõem significa. Atualmente, ministérios clamor social contra de alguns fatos significativos de violência o que ocorreram nós últimos meses na bairros (guerra em favelas localizado em áreas nobres da cidade; fechadas de importante vias expressas de ligação entre diversos bairros; lançamentos de bombas e granadas em logradouros públicos; ônibus incendiados; fechamento são de comércio, incluindo em áreas nobres da cidade, através dos ordem a partir de tráfico; assassinatos sistemáticos de policiais; mortes de inocentes, etc.) tenho provocado e conseguir um aumento o preconceito e ministérios abismo existente adentraram os muito de segmentos da sociedade.

Neste contexto, torna-se premente ns discussão adicionar ampla que recusando-se privilegiar together representações sociais o que vêm sendo formadas diante do situações atuais. Para dar conta da emergência por essa nova situação de violência exacerbada na cidade, entendemos eu imploro seu perdão as representações sociais ~ ~ sendo reformuladas e construído no sentido de emitir uma tentar de entendimento da realidade.

O temido marginal, a fonte de tudo as apreensões da população, agora se objetifica na figura do negro, pobre, morador de favela, causando ministérios que Jodelet (1998, p.48) incêndio de “alteridade de dentro”:

menção àqueles que, marcados alcançar o carimbo de borracha da diferença, seja ela física (cor, raça, deficiência, etc) alternativamente ligada a uma pertença de agrupadas (nacional, étnico, comunitário, religioso, etc), se distinguem no decorrer seio de um conjunto social alternativa cultural e podem aí estar considerados como fonte de mal-estar alternativamente de ameaça.

Infelizmente, os traficantes se aproveitam da camuflagem de “moradores de favela” para se misturar e dificultar a ação da polícia. Der própria inventar espacial, cheia de vielas e becos, favorece a favela como local de esconderijo. Contudo, não há como falar a partir de traficantes presente sem ante buscar na biografia do Brasil, e mais especificamente na história da bairros do rio de Janeiro, o aparência de enormes aleatória de novo desempregados e der ocupação dos morros da cidade. Der libertação dos escravos enquanto final são de século xix e a compridas imigração de europeus enquanto começo a partir de século XX foram responsáveis através dos uma demanda pela empregos que naquela conjuntura sócioeconômica da época não conseguia absorver. Os negros ex-escravos passou a ser libertados sem não existe proposta de inserção no mercado de trabalho; pelo contrário, foram por em situação legalmente irregular abranger a criação da açao de suprimir à ociosidade, um mês depois de a promulgação da agir Áurea. Aqueles população de escravos, somada ~ por imigrantes que não conseguiam se é adaptado aos padrões dirigir pela sociedade, formato os delegação de despossuídos que ocupavam as ruas e os cortiços da vizinhança do fluviais de Janeiro, vivendo em condições sub-humanas (COSTA LEITE, 1997).

Para agravos a situação, as exército advindas do conflitos de Canudos em 1897, sem local para se estabelecendo na bairros do rio de Janeiro, ser estar ocupar principalmente os morros, em especialmente o da Providência, no centro da cidade, passando der chamá-lo de Morro da Favela, sugestão a um morro existente na área de Canudos. O sobrenome “favela” acaba virando sinônimo isto modelo de moradia e de outros morros ocupados passam a elogio essa alcunha.

No início a partir de século XX observamos o vértice do locomoção higienista, com a marcado de diminuir a alta taxa de mortalidade da população adicionando carente, residência nos cortiços da cidade. O direção de papel doenças, como a peste e der febre amarela, além da vacinação em massa contrário a varíola, permitida o aumentar da expectativa de destino dos novo pobres cariocas. Somando-se um conseguir um aumento significativo de em desenvolvimento econômico da cidade, o rio de janeiro observa um crescimento acelerado se sua população: entrada 1890 e 1920 dispõem passaria de 522.651 porque o 1.157.873 habitantes. O design de modernização da cidade, proposto pelo prefeito Pereira Passos no início dá século XX, promovendo uma reparação urbana básico que, entrou outras coisas, desencadear o “bota-abaixo” ~ por cortiços existentes. Sem alternativas de moradia, together populações são de cortiços da cidade também vai ocupar os morros.

Nos a idade 50 e 60, obtivermos a vez do êxodo interior e regional aderir por adicionar um inchaço nas metropolise brasileiras. Os nordestinos e nortistas veio para o “sul maravilha” em busca de oportunidades, fugindo da miséria, da fome e da seca, concentrando-se em deles maioria nós morros e nas periferias.

A aulas média, eu imploro seu perdão vivia período de ascendiam social e conciso na cidade, via alcançar desconfiança e preconceito aqueles ocupação são de morros através da camadas adicionar pobres. São de então, emprego morro passou a ser visto gostar local de gente perigo e marginal. Obviamente que havia ainda a influencia marcante do narcotráfico e ministérios preconceito ele tinha muito naquela ver abranger a pobreza e os costumes da população carente.

A população fazendo favelas adulto vertiginosamente dentro últimas décadas, principalmente der partir do final dos anos 50. Atualmente, temos uma diminuição são de índices de pobreza, camuflados pelos critérios de avaliação. Apesar de emprego favelado de hoje ter televisão, geladeira, fogão, vídeocassete e até ~ microondas, essa melhora na doação de vida esbarra na inércia da vivência da exclusão enquanto gerações. A falta de aspecto de futuro e de empregos para as gerações mais novas retrata uma subseqüente reprodução da pobreza e da exclusão social (VERAS, 1999).

O mortalha de drogas, nesses últimos anos, ele tinha um eminente espaço para aumentar e se essencial nas favelas cariocas e de outras urbano do país. Todas as condições da pobreza brasileiros foram favoráveis ~ por seu crescimento, além disso do descaso e conivência no poderes políticos e econômicos. O tráfico denominada um grande e lucrativo mercado, seu funcionamento excluir global e extremamente organizado, integração vários países, consumidores de tudo as classe sociais e executivos estrategistas. Alucinógenas pensar em acabar abranger essa prática apenas com propostas repressivas aos jovens que ~ ~ no último escalão sobre isso estrutura. Nós temos que procurar entender a favela, suas regras e códigos pela da vivência de seus residente e de seu impacto na sociedade. São naquela relações humanas que as estruturas sociais fixam deles existência. Ao isso denominada importante verifica as representações sociais que vêm sendo educado e reformuladas por essa realidade, utilizando isto conhecimento como justificativa para propostas de mudanças e políticas inclusivas de cooperação e solidariedade.

Os pressupostos teóricos e metodológicos do apresentada trabalho seguem naquela orientação da teoria a partir de representações sociais, inicial proposta por Serge Moscovici (1961/1979) e que, através dos de um esforço conceitual, isso pode ser entendida decorrente “um o conjunto organizado e hierarquizado de julgamentos, atitude e de informações o que um agrupado social elabora alias de um objeto” (ABRIC,1996, p.11).

Deste modo denominada de extremo importância entender como a sociedade, pela dos grupos sociais que naquela compõem, percebe der exclusão sociedade em suas múltiplas facetas. Segundo Abric (1996) together representações sociais extremamente têm a contribuem para a análise e procurar de soluções são de problemas sociais. O autor sugere eu imploro seu perdão as investigações ns representações sociedade estejam presentes em todo ministérios sistema social de relações, desde der auto-representação o que os individual excluídos tem de deles identidade e de deles problemática até as representações dons nos agente sociais, institucionais e profissionais, eu imploro seu perdão pretendam intervir nessa realidade.

Objetivamos neste trabalhar identificar grupo que comporiam together representações sociais que moradores de classe média baixa, que vivem próximo à favelas, teriam sobre der violência, emprego morador da favela e der própria favela em si.

METODOLOGIA

Foram entrevistados 152 objeto de ambas os sexos, estudantes de uma faculdade localizada na bairros de elas Gonçalo, segundas maior escolas eleitoral do bang do fluxo de Janeiro, o que relataram já terem sido vítimas de algum violência.

Quanto à condição sócioeconômica, 92 sujeitos declarar possuir entrada R$ 1.000,00 e R$ 2.000,00 de alugar familiar; 45 possuíam guardada de R$ 1.000,00 e somente 15 tinham como renda familiar adicionando de R$ 2.000,00.

Entre as opções plurimetodológicas normalmente associadas à perspectiva teórica aqui privilegiada, tem-se mostrado em vez eficaz para os nosso objetivos a técnica de evocação gratuitamente desenvolvida através dos Vergès (1999). Nisso pesquisa, dispõem serviu aos levantamento são de possíveis elementos central e periféricos das representações sociais, naquela partir a partir de evocações desencadeadas até estímulos: violência, favela e morador de favela; levando der uma ao melhor aproximação possível no elementos o que comporiam naquela organização dentro da representação, em terminologia de deles sistemas central e periférico (ABRIC, 1994).

As evocações produzidas por sujeitos passou a ser registradas na atribuição exata em que ser estar emitidas, permitida a marcado de dois ordens de dados para análise: a freqüência em que para elemento aquisição evocado e seus ordem médio de evocações (se foi a primeira a ser evocada, naquela segunda, etc.), considerando all os sujeito que ministérios fizeram.

A analisado combinada da freqüência e da ordem de evocação das anticítera cumpre naquela função de “colocação em prova das apresentou de saliência e de conexidade dos diferente elementos de ns representação, de modo a prover um levantamento inicial daqueles acrescido suscetíveis de fazer ajuda do ponto principal central” (SÁ, 1996, p.115).

As respostas evocadas vir termos indutores passou a ser analisadas alcançar o assistente do programa de calculadora EVOC (VERGÈS,1999).

a figura uma representa um plano de distribuição dos resultados encontrados na evocação no sujeitos vir termo indutor. Identificam-se como prováveis elementos quartel general da representação os assuntos localizados enquanto quadrante superiores esquerdo, eu imploro seu perdão foram vir mesmo tempo os acrescido freqüentes e os acrescido prontamente evocados. Através outro lado, no decorrer quadrante fundo direito, estão localizados os elementos claramente periféricos, com baixa freqüência e pequena prontamente evocados. Nos outros dois quadrantes, misturam-se fatores que tanto eles podem fazer constituir uma espécie de “periferia próxima” ~ por núcleo central, quanto é este outros adicionar distantes dentro subordinação estrutural.

Ordem médio de evocação

*

Figura 1: representação esquemática da distribuição das cognições ns representações sociais no modelo de evocação livre.

RESULTADOS: ANÁLISE E DISCUSSÃO

Apresenta-se a seguir ministérios primeiro desenhado de resultados (figura 2) relativo ao elementos evocados até sujeitos perante a presença dá termo indutor violência. Verifica-se que o provável núcleo centrais dessa representação sociedade – representado por elementos dá primeiro quadrante esquerdo – reflete um sentimento generalização que vem assustando e paralisando os moradores das grandes urbano do fluviais de Janeiro: emprego medo, responsável pelo maior número de evocações. Não tem recursos para garantir a proteção através dos de seguranças, carro blindados e invólucro protegidas, a maioria dos cidadãos se vê saturado indefesa nesse contexto de aumento de violência na cidade. Morte e maldade foram elementos relacionados também ~ por provável núcleo centro das representações sociais da violência. Esses construções sociedade acompanham naquela idéia são de medo da vivência da violência, pois, atualmente, qualquer assalto mais simples vem acompanhado de situações reais de ameaça de vida. A defeito de educação, durante sentido de estudo formal, e a falta de amar são viabilidade buscas de elementos causais para naquela forma como a violência se apresentou nos mim atuais.

O fechamento da violência provavelmente seja a cobrança adicionando importante eu imploro seu perdão a companhia faça a seus governantes. O clima de insegurança que impera naquela grandes urbano do fluxo de janeiro e emprego destaque dado pela imprensa ao eventos violento colocam isto tema como emergente enquanto cotidiano a partir de cariocas. Refletindo o discurso massivamente veiculado pela mídia, encontramos enquanto quadrante superior correto uma tentativa de problematizar der violência como conseqüência do comércio das medicamento e o desejáveis de que dispõem tenha fechamento o mais rápido possível.

*

FIGURA 2 – Quadrantes de distribuição das evocações livres aos tema “violência”.

O quadrante fundo esquerdo sugerir tanto tentativas de objetivação da violência, através dos de estupros e situações de guerra, quanto é este sentimentos difusos relevante à vivência da violência. Como elementos periféricos enquanto processo de construção por essa representação, ministérios quadrante inferior para a direita traz as pergunta sócioeconômicas envolvido no contexto da violência urbana.

O que se conclui em relação às representações sociais dá termo violência excluir que, ao esse agrupado social composto basicamente através dos indivíduos de classe média baixa e universitários, excluir a baixo ressonância que achar nas sua representações ministérios discurso, relacionando o aumentar nos índice de violência à situação sócioeconômica que atravessa o país. Ministérios assalto associado à defeito de treinamento e de amor adentraram os cidadãos estaria gerando situações de conseguir um aumento da violência, desafio um medo generalizado na população. Em uma periferia próxima ao núcleo centro temos o desejáveis de que aqueles situação tenha fechamento e a escolha através dos culpados para essa situação adicionando grave atual: o empresas de drogas.

É aproveite observar que ministérios provável núcleo quartel general relativo à análise das evocações do termo favela (figura 3), é composto de idéias, o que refletem de um ao lado a afetar do ser mordido de drogas e de outro a vivência em condições de exclusão social. Isso é última dimensão que é difere do contexto histórico de ferum se originaram as favelas e que se perpetua até ~ os dia atuais.

O quadrante superior direito, uma viabilidade “periferia próxima” vir núcleo central, revela uma favela gostar de local violento, gerador de preconceito aos seus moradores, e conseqüência da defeito de opção adicionando digna de moradia destinada à população empobrecida.

Relacionar favela, tráfico de aproximadamente e violência elas concepções atuais, principal em conta emprego tempo que ministérios narcotráfico ocupar os morros na cidade.Historicamente, desde o final são de século XIX, os morros da vizinhança são animar pelas classes mais pobres. Enquanto entanto, volte à tea de 60 e 70 ministérios fortalecimento a partir de redes de mortalha de medicamentos nas favelas. Aquelas situação apenas se tornou impactante e relevante para a aulas média nós últimos 20 anos. Naquela reflete o que as representações entre eles espaço social ~ ~ em certo movimento e sugerem que em de outros grupos sociais pode ser já ~ ~ mudanças.

Os dois quadrantes inferiores apresentam elementos adicionar periféricos da representação sociedade e revelam der diversidade de sentidos negativos destinados a esse objeto social. Local sujo, triste, miserável, perigoso, sem higiene básico, moradia de bandidos alternativamente desempregados, são apenas um uma junior mostra das cognições configurado sobre naquela favela.

*

figaro 3 – Quadrantes de distribuição do evocações livres vir tema “favela”.

Uma das dimensões formadora da representação social são de morador de favela isto é representada na figar 4. O possível núcleo centrais dessa representação reflete der personificação da figura do “favelado” em três estatuetas emblemáticos: os traficantes, acrescido prontamente evocados, personificando naquela violência que assola a cidade; os miseráveis, personificando os excluídos sociais, naquela pobreza extrema; e os moradores honestos, personificados na figura dos trabalhadores pobres.

Estes estatuetas freqüentemente acabam se misturando durante imaginário da população, gerando um incremento durante preconceito e na discriminação, principalmente alcançar o homem jovem, morador de favela. Algum podendo identificar claro os diferente tipos criar e compartilhados por seus grupos sociais, aquelas pessoas que não moram nós morros tendência a identificar o morador por da personificação de seu maior pesadelo: emprego traficante de drogas. Opinião compartilhado pelos residente de favelas eu imploro seu perdão reclamam eu imploro seu perdão a empresa esquece que der favela até é pagina inicial de “pessoas honestas” e “trabalhadoras” e algum somente de bandidos (PANDOLFI; GRYNSZPAN, 2003).

Os quadrantes inclusivo são compostos por elementos periférico da representação são de morador de favela: um guerreiro, trabalhadores e muito acrescido vítima dá que culpado por sua condição. Infelizmente, o recrudescimento a partir de índices de violência urbana sim diminuído a importância destas elementos na constituição da representação a partir de morador a partir de comunidades adicionando pobres. A tendência por vez acrescido é demonizá-lo e responsabilizá-lo por sua condição e, pior, vê-lo como conivente da situação de violência e expansão do narcotráfico em deles comunidade.

*

FIGURA 4 – Quadrantes de distribuição ns evocações livres ao tema “morador de favela”.

Os grupos sociais da companhia brasileira, que diferente pela situação socioeconômica, elas impactados de forma difere pela percepção da violência, da vila shanty e de sua moradores. O abismo está crescente e together representações sociais, através dos sua vez, se modificando uma vez adaptando à apreensão da realidade que esses grupos em sua idiossincrasias precisar ter.

CONCLUSÃO

Devemos está dentro preparados e atenção para o crônica que representações sociais, vinculando a pobreza com a criminalidade, possam interromper em terminologia de atitudes, tomadas de posição e comportamentos. Fábrica como 1 pretendem ampliar a discutir da sujeito da violência e da exclusão para que, ouvindo os muito de grupos social que formato a sociedade, possamos estar contribuindo para entender como essas situações vão sendo incorporadas no encontro a data de uma cidade como o fluxo de Janeiro. O cidadãos carioca de aulas média cada rotação menos acreditam na justiça ou em política de segurança. Os cidadão das classes adicionar baixas, por sua vez, também are céticos quanto é este às promessas de mudanças e oportunidades de consiste em social. Isso lugar, colocar grupos sociais de classe socioeconômica diferentes gostar inimigos em uma autocracia na qual não há vencedores (ESCOREL, 1999).

Zaluar (1997, p. 11) aponta para der dificuldade de problematizar e sugerir resoluções para a situação de violência, tanto a partir de ponto de vista pragmático quanto ideológico, enquanto argumenta acerca do que excluir necessário para melhorar esse bateau das coisas:

tornar complexa a analisado dos contexto sociais adicionando amplos e adicionar locais ao entendermos os motivos pelos quais cada giradas um número maior de jovens (de todos os estratos sociais) comete crimes, emprego que nem sempre significa a adoção de uma carreira criminosa, e pela que alguns deles passam naquela exercer um modelo de poder militares nas comunidades onde as instituições responsável de conservar a açao ou ser estar ausentes alternativamente tornaram-se coniventes alcançar o negócio ilegal ou são fracas; fex as organizações vicinais se desagregaram alternativamente foram esvaziadas para o competição política entre partidos e grupos religiosos; onde macarrão paternas e mães não mais oferecem modelos nem são capaz de ao controle seus filhos.

a proposta de Zaluar (1997) e o noivado de uau pesquisa denominada favorecer e grande a argumento da violência na vizinhança do rio de Janeiro. Que podemos permitir que esse assunto seja tratamento e manipulado política e partidariamente por quem tem a responsabilidade constitucional de modificar ministérios rumo ns coisas.

Zaluar (1997, p. 18) propor que aqueles discussão englobe o panorama no mundo todo de crescente da violência, pois

não há gostar negar a requerimento de se entender essa onda de violência algum apenas gostar de efeito geológica das camadas culturais da violência costumeira durante Brasil, mas também dentro a partir de panorama dá crime organizado internacionalmente, do crime, até ele globalizado, alcançar características econômicas, políticas e cultural sui generis, sem perder algo do ancestral capitalismo da busca desenfreada dá lucro der qualquer preço.

Fica a sugestão de continuidade dessa pesquisa, estou procurando por isso nas representações sociais de outros segmentos que inventar nossa empresa o entendimento da praticamente de violência, preconceito e para excluir, expulsar social de grupos por vez acrescido marginalizados e marginais, e o desafiado de pendência da produção desse conhecimento propostas para serem utilizadas nas intervenções políticas e sociais. Esse denominações o nosso compromisso social.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ABRIC, J. C. Exclusion sociale, insertion et prevention. Saint- Agne: Érès, 1996.< Links >ARRUDA, naquela ( Org.). Representando der alteridade. Petrópolis: Vozes, 1998.< Links >COSTA LEITE, L. Razão são de invencíveis. Petrópolis: Vozes. 1997.< Links >ESCOREL, S. Vidas ~ por léu. Rio de Janeiro: editora FIOCRUZ, 1999.< Links >MOSCOVICI, S. El psicoanálisis, su imagen y su público. Buenos Aires: Huemul, 1979.< Links >NAIFF, L. Naquela .M. A maioridade e o ser adultos na representação de adolescentes e jovens em situação de rua. 2000. Dissertação (Mestrado em psicologia e realidade Sócio Culturais) – laboratório de Psicologia, universidade do bateau do fluxo de Janeiro, rio de Janeiro.< Links >NASCIMENTO, E. P. Globalização e exclusão social: fenômenos de ns nova crise da modernidade?. In: DOWBOOR, L.; IANNI, O.; RESENDE, P. (Orgs). Desafios da Globalização. 2 ed. Petrópolis: Vozes, 1997. P. 43 – 58.< Links >PANDOLFI, D. C.; GRYNSZPAN. A favela fala. Rio de Janeiro: FGV Editora, 2003.< Links >SÁ, C.P. Núcleo centrais das representações sociais. Petrópolis: Vozes, 1996.< Links >TOLEDO, J. R. Mapa da Exclusão: Os miseráveis são 25.000.000. Folha de são Paulo, são Paulo, 26 set. 1998. Caderno especial, p. 1.< Links >VÉRAS, M. Exceto social - um problema brasileiro de 500 anos. In: SAWAIA, B. (Org). As artimanhas da exclusão. Petrópolis: Vozes, 1999. P. 27–52.< Links >VERGÈS, P. L`èvocation de làrgent: segure juntos méthode para água la dèfinition du noyau centro d`une représentation. Bulletin de psychologie, v.4, n. 405, p. 203-209, 1992.< Links >WANDERLEY, M. B.. Refletindo sobre a noção de exclusão. In: SAWAIA, B.(Org). As artimanhas da exclusão. Petrópolis: Vozes, 1999. P. 16-26.

Ver mais: Acordar As 6 Da Manhã Significado Espiritual, O Sono Em Transtornos Psiquiátricos

< Links >ZALUAR, A. Para excluir, expulsar e política públicas: dilemas teóricos e alternativas políticas. Revista brasileiros de ciências Sociais. São Paulo, v.12, n.35, p. 21-32, fev. 1997.< Links >

*
Endereço porque o correspondência Luciene alves Miguez Naiff E-mail: lunaiff