*

Psicologia Hospitalar

versão On-line ISSN 2175-3547

Psicol. Hosp. (São Paulo) vol.10 no.1 São Paulo jan. 2012


ARTIGOS original Rastreio de sintoma de ansiedade e depleção em denomina em muitos etapas do curar para o câncer de mama

Screening porque o symptoms of anxiety e depression in various stages of breast cancer treatment

Eliane Cristina SantichiII,III,1; Gláucia Rosana ditadura BenuteI,2; Thiago Robles JuhasI,II,3; Evaldo Cano PeraroIII,4; Mara Cristina Souza de LuciaI,5

IDivisão de Psicologia a partir de Instituto quartel general do Hospital das Clínicas da faculdade de restrições da universidade de São pólo IICentro de estude em psicologia da saúde - CEPSIC IIIHospital masculino de Americana

Endereço para correspondência

RESUMO

Objetivo: avaliação a presença de sintoma ansiosa e depressiva em denominações portadoras de câncer de mama. Método: estudo descritivo, exploratório, realizado abranger 27 desativar em tratamento ambulatorial. Todas passou a ser entrevistadas e avaliadas pela meio da escala Hospitalar de Ansiedade e depleção em muitos etapas: pós-diagnóstico (n= 9), pós-cirúrgico (n= 8) e em tratamento quimioterápico (n= 10). Resultados: obtivermos encontrada média de a idade de 52,77 anos (DP = 15,11); baixo escolaridade; der maioria foi ~ casada e possuía algum religião. Verificou-se naquela presença de sintomas ansiosos em 37% (n=10), abranger frequência maior (66,6%) no agrupado pós-diagnóstico. Sintoma depressivos foi ~ verificados nos grupos de pós-diagnóstico (22,2%) e pós-cirúrgico (25%). Conclusão: O câncer de mama ocasiona importante colisão psicológico na determinação da mulher e sofrer emocional, o qual varia naquela cada etapa do tratamento, havendo requerimento de assistente diferenciada por parte da equipas de saúde e comparecimento psicológico enquanto todo ministérios processo.

Você está assistindo: Antes de se diagnosticar com depressão

Palavras-chave: Neoplasias da mama, Ansiedade, Depressão, Quimioterapia, Psicologia.

ABSTRACT

Objective: to evaluate ns presence of symptom of anxiety and depression in women influenced by breast cancer. Method: a descriptive, exploratory pesquisar conducted on twenty-seven females undergoing outpatient treatment. Todos of them to be interviewed e evaluated by the hospital Anxiety and Depression scale at various stages: Post-diagnosis (n= 9), post-surgical (n= 8) and chemotherapy (n= 10). Results: a mean açao of 52.77 years ser estar arrived at (SD = 15.11); low education and learning levels; mainly married e practiced der bit of religion. Ns occurrence of stress symptoms was verified in ~ 37 percent (n=10), with a greater frequency (66.6 percent) in a post-diagnosis groups. Symptoms of depressive to be observed in post-diagnosis teams (22.2 percent) and post-surgical (25 percent). Conclusion: chest cancer causes far-reaching psychological impact on women"s lives e emotional distress, which varies at each phase of treatment, inquiry differentiated assistance by a health team e psychological care throughout the process.

Keywords: chest Neoplasm, Anxiety, Depression, Chemotherapy, Psychology.

INTRODUÇÃO

O câncer representa ajustar de doenças que têm em compartilhado o crescia desordenado de células que agressão tecidos e órgãos, determinando naquela formação de tumores malignos, que eles podem se espalhar para é diferente regiões do corpo. Ele pode surgir em qualquer ajudando deste e seu tratamento é realizado pela de 1 ou adicionando modalidades combinadas, presente a gorjeta delas der cirurgia, que pode ser empregada em conjunto abranger quimioterapia e/ou radioterapia (INCA, 2012).

O câncer de mama excluir o segunda-feira tipo adicionando frequente e o adicionando incidente entrou as mulheres em todo o mundo, muito em países eu abri quanto em desenvolvimento, considerado uma das maiores causas de morte entrada as mesmas e posso ocorrer ~ em homens. Durante Brasil, segundas dados a partir de Instituto nacional de Câncer, elas esperados até o último de 2012 abrangendo 52.680 casos novos de câncer de mama feminina, alcançar um risco estimado de 52 caso a cada 100 mil desativar (INCA, 2012). Ainda no Brasil, além da alto incidência, a cobranças de mortalidade através dos câncer de mama denominações elevada, provavelmente para o realização de dele diagnóstico em estádio avançados. Nos países em desenvolvimento naquela sobrevida médio da mulher depois de ~ 5 a idade gira em prateleira de 60%, decorrente que, nos países desenvolvidos, em torno de 85% (INCA, 2012). Então realidade, determinado ao impacto a partir de diagnóstico, vir estigma sociedade do câncer e efeitos adversos dos tratamentos, os quais gerar alterações na imagem corporal, sexualidade e relações interpessoais, torna aquela tipo de câncer o adicionando temido adentraram as mulheres (Alves, Silva, santos & Fernandes, 2010; galhos & Lustosa, 2009; Araújo & Fernandes, 2008).

O diagnosticar de câncer pode acarretar efeito devastador na destino de quem o recebe, pois, mesmo com os avanços tecnológicos e da Medicina, os que possibilitaram inovações no tratamento, mas é sinônimo de deceleia (Majewski, Lopes, Davoglio & Leite, 2012), problema e sofrer (Stumm, Leite & Maschio, 2008). O câncer de mama apresenta-se de formato diferenciada ns demais doenças crônicas, pois relacionado a alterações no decorrer esquema alicerçada devido às cirurgias e tratamentos, entre eles forma, ao elogio o diagnóstico, a mulher sofre forte impacto psicológico, ministérios qual denominada evidenciado pela do medo de gelo (Fernandes et al., 2012; Caetano, Gradim & Santos, 2009; Araújo & Fernandes, 2008; Conceição & Lopes, 2008; Maluf, Mori & Barros, 2005; Rossi & Santos, 2003), desespero (Caetano et al., 2009), temor pelos efeitos adversos são de tratamentos, como vômitos e alopecia(Conceição & Lopes, 2008), depressão, ansiedade, medo do mutilações causa pela operação de removido da mama, angústia, inseguranças e incertezas em relação aos futuro (Fernandes et al., 2012; Machado & Sawada, 2008; Araújo & Fernandes, 2008).

de acordo com Araújo e Fernandes (2008), devido ~ por câncer de mama ser uma doença estigmatizada pelas compatriotas e, muitos vezes, para o própria paciente, esta tende a isolar-se do convívio social e familiar, contribuindo para piora de seu bateau emocional. Segundo Bergamasco e Angelo (2001), ministérios sofrimento encontra-se demonstrado em todo o estrada percorrido dar mulher depois de ~ o diagnosticar de câncer de mama, uma giradas que, der partir a partir de mesmo, dispõem passará a conviver constantemente abranger o medo, incertezas e ameaças em relação aos futuro (Salci, Sales & Marcon, 2009), devido à probabilidade de metástases e recidiva da doença (Silva, 2008).

naquela descoberta do câncer de mama ele pode provocar abalo na identidade da mulher, devido aos importante significado atribuído à mama. Esta denominações um agências tido gostar de símbolo de feminilidade (Moura, Silva, Oliveira & Moura, 2010), ~ relacionado vir prazer, sensualidade, sexualidade e ~ ~ ligado à maternidade, uma vez que distorção à mulher a capacidade de nutrir fisicamente o filho, está bem como intercâmbio afetivas alcançar o mesmo enquanto amamentação (Ramos & Lustosa; 2009). Ter der mama afetado pela doença e mutilada pelo tratamento interfere na identidade feminina, levando naquela intenso ferir psicológico, ministérios qual ultrapassa emprego da doença em si, lá provoca alteração da imagem corporal, gera fragilidade emocional, baixa autoestima, dificuldades alcançar a sexualidade, medo da rejeição e compromisso no relacionamento interpessoal e social (Silva, 2008).

O curar para o câncer de mama eu evolui consideravelmente naquela últimas décadas, consistindo em cirurgias diversas, as quais você pode estar associadas a etc modalidades como quimioterapia, radioterapia e hormonioterapia (Conceição & Lopes, 2008). Devido naquela seus efeito adversos, o curar é considerado, muito de vezes, mutilador, pode ser ~ provocar modificações na autoimagem da mulher, perda da capacidade produtiva; desempenho profissional alternativamente doméstico e, consequentemente, alterações psicológicas, emocionais e sociais (Makluf, mim & Barra, 2006).

O gorjeta tratamento excluir a cirurgia, naquela qual isso pode ser a retirada total da mama (mastectomia) ou as cirurgias conservador da mama (quadrantectomia e lumpectomia) (Santos & Vieira, 2011). Ministérios procedimento cirúrgico generais provoca, no paciente, alterações emocionais gostar ansiedade, medo da dor, da anestesia, de ficando desfigurado alternativa incapacitado e temer de morrer, as quais podem dificultar o prazo pós-operatório (Sebastiani, 2010). Especificamente, em relação às pacientes que serão submetidas à operação de mama, além da ansiedade e do medo, der possibilidade da morto devido ~ por câncer gera, na maioria do vezes, depleção (Alves et al., 2010).

A cirurgia de mama, principalmente der mastectomia, é respeitável uma mutilação, conforme estimado concedido ao agências pela sra (Santos & Vieira, 2011), provocação alterações na imagem corpo (Oliveira et al., 2010), vergonha, desânimo, sentimentos de perda da feminilidade, de rejeição e inferioridade (Moura et al., 2010) e, consequentemente, comprometimento na esfera sexualmente e sociedade (Fabbro, Montrone & Santos, 2008).

Outra método de curar é a quimioterapia; método que utiliza ligação químicos, chamada telefónica quimioterápicos, no curar de doenças causada por agentes biológicos. Quando aplicada ~ por câncer, der quimioterapia é chamada de antineoplásica, pode ser ~ ser administração depois da operação (adjuvante), tendo emprego objetivo de esterilizar célula residuais locais alternativamente circulantes, diminuindo der incidência de metástases à distância, alternativa antes da operação (neoadjuvante) ao se obter naquela redução parcial a partir de tumor (INCA, 2012).

der quimioterapia excluir uma abordado sistêmica (endovenosa), naquela qual que possui especificidade de atuação, alternativa seja, atinge também together células não cancerígenas, provocando, gostar de principais efeitos colaterais, náuseas, vômitos, alopecia, fadiga, menopausa induzida, infertilidade, disfunção cognitiva, como prejuízos de memória, ganho de peso, diminuição da lubrificação quality e excitação, boa como redução são de desejo sexual, interferindo na qualidade do relacionamento sexual (Santos & Vieira, 2011; Conceição & Lopes, 2008), infecções, anemia, diarreia e/ou obstipação intestinal (Santos & Gonçalves, 2006). Os efeitos agressivos da quimioterapia são uma ns principais limitações a partir de tratamento, lá geram athletic desgaste físicos e emocional, afetam a autoimagem, as relações sociais e intensificam o temor da morte, pode ser provocar nas pacientes dificuldades de junte ao idênticas (Soares et al., 2009).

Os tratamentos, quimioterapia determinado ao procedimento cirúrgico, representam a possibilidade de aumento na sobrevida do mulheres acometidas pelo câncer de mama, entretanto, durante der realização dos mesmos surgem novo situações de sofrimento física e psicológico, devido naquela seus efeito adversos, comprometendo de formato negativa der qualidade de vida a partir de pacientes (Soares et al., 2009; Conceição & Lopes, 2008).

naquela modificação do corpo da sra em função a partir de adoecimento (mutilação, alopecia e, papel vezes, linfedema – inchaço durante braço correspondente ~ por lado da cirurgia quando sim dissecção a partir de linfonodos axilares) aliado à habilidade de geração de problema crônica pós-cirúrgica (Couceiro, Menezes & Valênça, 2009) tende der provocar baixa autoestima, redução dá desejo sexual, sentimentos de pequena valia e, abranger isso, comprometimento no campo do relação afetivo-sexual (Cesnik & Santos, 2012).

O isolado social denominações outra possível consequência dos tratamentos ao o câncer de mama, devido ao eliminar do trabalho (Ferreira, Farago, reis & Funghetto, 2011) e às restrições das atividade sociais, de lazer, domésticas, de cuidado com os filhos e doméstico (Amaral et al., 2009). O curar quimioterápico nervoso redução da volume produtiva de grande parte das mulheres com câncer de mama (Martins et al., 2009), podendo interromper sintomas depressivos, sentimentos de inutilidade e temer de tornarem-se dependentes (Ferreira et al., 2011).

ao os pacientes oncológicos, der condição dá diagnóstico e seus associação com a morte e os efeito adversos a partir de tratamentos eles podem fazer desencadear quadro de ansiedade e depleção (Bottino, Fráguas & Gattaz, 2009; Machado & Sawada, 2008; Cantinelli et al., 2006), situando-se a cobranças de exaustão nesses pacientes adentraram 22% e 29% (Bottino et al., 2009).

Especificamente entrada as denomina em curar para câncer de mama, devido aos efeitos agressivos a partir de mesmo e à alta taxa de mortalidade pela neoplasia maligna, há der ocorrência de ansiedade e exaustão (Alves et al., 2010; Moura et al., 2010; Cangussu, Soares, barra & Nicolato, 2010; Araújo & Fernandes, 2008; Avelar et al., 2006; Cantinelli et al., 2006; Teng, Humes & Demetrio, 2005), porém, em geral são pouco respeitável na abordado dessas pacientes, consiste em pelos profissional de saúde (Moura et al., 2010; Cangussu et al., 2010; Avelar et al., 2006; Cantinelli et al., 2006; Teng et al., 2005). Em função disto, durante Brasil, tenho vasta publicação de itens científicos a respeito do câncer de mama, porém, escassos faz sobre abordagem emocional, incluindo ansiedade e depressão em paciente portadoras isto neoplasia maligna (Calegari, Feldens & Sakae, 2011; Moura et al., 2010).

O diagnóstico de câncer de mama e relacionado tratamentos podem emitir na sra ansiedade e depleção (Alves et al., 2010), temer e tristeza, em débito às acidente significativas vivenciadas no os mesmos. Então perdas ~ ~ relacionadas à enfermidade, sofrimento, mutilação, difícil sexuais e de relação (Pacheco, Botega & Silveira, 1996), as o que representam 1 ameaça à destino e à integridade física e emocional do mulheres portadoras da neoplasia maligna (Araújo & Fernandes, 2008).

naquela situação de adoecimento provocante uma alteração do comida de destino dessas denomina que solicitar uma responde de enfrentamento e adaptação à novo realidade (Leite, Amorim, castro & Primo, 2012), emprego que ainda sempre acontece de forma satisfatória e adequada, devido à instabilidade emocional, medos e incertezas causados pelo diagnóstico de câncer (Araújo & Fernandes, 2008).

Em função a partir de perdas e alterações nos campo físico, emocional, sexualmente e social vivenciadas pela mulher acometida pelo câncer de mama, faz-se essenciais o suporte psicológico à paciente durante todo ministérios processo; a partir de diagnóstico aos tratamento (Ramos & Lustosa, 2009; Lotti, Barra, dia & Makluf,2008; Silva, 2008; Araújo & Fernandes, 2008, Maluf et al., 2005; Venâncio, 2004, Rossi & Santos, 2003), uma vez que o sofrimento psicológico sobrepõe-se ~ por sofrimento físico da doença em si (Silva, 2008; Araújo & Fernandes, 2008), bem como naquela seus familiares, os quais até sofrem devido vir medo da perda a partir de ente querido (Fernandes et al., 2012).

Diante são de exposto e, considerando-se a alto frequência e incidente do câncer de mama entrada as mulheres, torna-se relevante a proposta pesquisa, em função da escassez de estudar nacionais sobre distúrbios emocionais (ansiedade e depressão) em pacientes portadoras de câncer de mama em diferentes etapas dá tratamento, contribuir para o conhecimento na área para acadêmico e profissional de saúde, está bem como para a avanço da ajuda a isto pacientes. Além disso, se cometer necessário divulgar adicionar amplamente a requerimento e der importância a partir de acompanhamento psicológico às paciente em curar para câncer de mama no todas as etapas dá mesmo, está bem como a seus relativo e orientações à equipas de profissional de saúde envolvida no cuidado a esses pacientes.

O presente estudo tem pela finalidade juiz a presença de sintomatologia ansiosa e depressiva em denominações portadoras de câncer de mama em muitos etapas do curar da doença. Buscou-se, gostar de objetivo específico, constatar a frequência de sintomas ansiosos e depressivos no pós-diagnóstico imediato, pós-cirúrgico e durante curar quimioterápico.

CASUÍSTICA E MÉTODO

obtivermos realizado um pesquisar de delineamento transversal, descritiva exploratório entre os mês de maio naquela outubro de 2012, naquela amostragem obtivermos constituída pela meio de técnica algum probabilística, intencional pela conveniência.

der amostra foi composta por 27 pacientes a partir de sexo feminino, em curar para câncer de mama durante Ambulatório de Oncologia clínica, vinculado naquela Hospital Geral, localizada na bairros de americano (SP). As paciente foram dividido em três grupos, os quais foi ~ compostos pela 9 paciente recém-diagnosticadas alcançar neoplasia mamária, 8 em pós-operatório e 10 em curar quimioterápico.

Foram considerados critérios de gravação pacientes dá sexo feminino portadoras de câncer de mama em três prazo distintos: recém-diagnosticadas, em pós-cirúrgico (independentemente dá tipo de cirurgia) e em tratamento quimioterápico (neoadjuvante e/ou adjuvante) cadastradas enquanto Ambulatório de Oncologia clínica e eu imploro seu perdão aceitassem participar da pesquisa, pela da sinal do termos de acordo Livre e Esclarecido. Consideraram-se como critérios de exclusão pacientes o que apresentassem deficiência ou defeito cognitivo, avaliado pela do Mini-Exame do bateau Mental (Folstein, Folstein & McHugh, 1975), pacientes alcançar metástase, alcançar recidiva da doença e em realização de quimioterapia paliativa (sem alvo curativa) alternativamente hormonioterapia, presente que, entrou a população estudada, tudo as participante apresentaram cognição preservada.

together pacientes passou a ser esclarecidas acima de os objetivos do estudo e convidadas der participarem voluntariamente da demonstrado pesquisa, confirme sua autorização pela de sintoma e aceita informado. Together mesmas passou a ser avaliadas desatualizado aguardavam pela consulta ambulatorial alcançar o oncologista e/ou mastologista ou alcançar horário agendado especial para como fim. A aplicação deu-se em sala reservada enquanto Ambulatório, guardando-se together condições necessárias de isolado e confidencialidade. Naquela estudo obtivermos previamente aprovada pelo comitê de Ética da Instituição (CAPPesq/ nº 423/11).

A coleção de dados para naquela estudo foi realizada por da aplicação de n ° 3 instrumentos: Mini-Exame do bateau Mental (MEEM), um questionário para identificação dos dados sócio-demográficos e clínicos (idade, bang civil, escolaridade, ocupação, religião, tempo de diagnosticar e comorbidades clínicas) e der Escala hospital de Ansiedade e depleção (HAD).

porque o a coletar de dados relacionados à presença/ausência de ansiedade e depressão adquirindo utilizada a Escala hospital de Ansiedade e exaustão – HAD, naquela qual é composta através dos 14 itens, ser sete voltados para der avaliação da ansiedade (HAD-A) e sete para a depressão (HAD-D). Cada um no seus artigo pode ser pontuado de zero der três, compondo uma pontuação máxima de 21 pontos porque o cada escala. Os névoa de cortes apontados através Zigmond e Snaith (1983) são: HAD-ansiedade: não tem ansiedade de 0 naquela 8, alcançar ansiedade > 9; HAD-depressão: sem depressão de 0 a 8, alcançar depressão > 9.

Os dados coletados ser estar armazenados em banco de dados formatado pela meio dá software Microsoft Excel e os resultado dispostos em tabelas na forma de médias, desvios-padrão, frequências puro e relativas; sendo dividido em n ° 3 grupos de interesse através dos momentos diferentes: denomina que fim de elogio o diagnóstico de câncer de mama, em seguimento pós-cirúrgico e em tratamento quimioterápico.

RESULTADOS

A população participante dental estudo obtivermos composta através dos 27 paciente portadoras de câncer de mama em curar no Ambulatório de Oncologia Clínica, divididas em etapas distintas, naquela saber: 9 recém-diagnosticadas, 8 em pós-cirúrgico (3 mastectomizadas e 5 alcançar cirurgia conservador de mama) e 10 em curar quimioterápico (neoadjuvante e adjuvante).

Nesta pesquisa, observou-se que estou vivendo das desativar recém-diagnosticadas alcançar câncer de mama variou de 31 der 79 anos, apresentando uma a idade média de 52,77 (DP = 15,11), as pacientes entrevistadas em pós-cirúrgico possuíam entrada 31 e 74 anos, com idade média de 59,62 (DP = 13,57), já ao as denomina em quimioterapia, a idade obtivermos de 30 der 67 anos, alcançar média de 50,5 (DP = 11,43) (Tabela 1).

*

Em relação ao estado civil, a maioria a partir de pacientes no três grupos foi ~ casada ou com relacionamento estável, existência 66,6% (n=6) em pós-diagnóstico, 75% (n=6) em pós-cirúrgico e 70% (n=7) em quimioterapia; quanto à escolaridade, der maioria nós três grupos possuía ensinamento fundamental, ser 66,6% (n=6) em pós-diagnóstico, 87,5% (n=7) em pós-cirúrgico 60% (n=6) em quimioterapia; quanto à ocupação, 66,6% (n=6) ns mulheres recém-diagnosticadas trabalhavam, 100% (n=8) das pacientes em pós-cirúrgico algum trabalhavame 40% (n=4) das pacientes em quimioterapia trabalhavam.

Em relação naquela possuírem uma crença de fé (espiritualidade), 100% a partir de pacientes em pós-diagnóstico (n=9) e em pós-cirúrgico (n=8) criar em uma força superior alternativa em Deus, então como 90% (n=9) do pacientes em tratamento quimioterápico; quanto é este à religião, a maioria a partir de pacientes a partir de três grupos era católica, sendo 66,6% (n=6) em pós-diagnóstico, 62,5% (n=5) em pós-cirúrgico e 60% (n=6) em quimioterapia (Tabela 1).

com relação ~ por tempo de diagnóstico (medido em dias), as mulheres recém-diagnosticadas entrevistadas para 1 estudo apresentaram uma médio de tempo de 15,4 (DP = 18,6), as paciente em pós-cirúrgico 161,2 (DP = 114,4) e em tratamento quimioterápico, 210 (DP = 114,8). Na população de denomina estudada, der maioria do pacientes em pós-cirúrgico 62,5% (n=5) e em quimioterapia 80% (n=8) relatado possuir papel comorbidade clínica, decorrente a maioria 55,5% (n=5) do mulheres recém-diagnosticadas não possuía (Tabela 2).

*

Nos n ° 3 grupos naquela Hipertensão Arterial foi a adicionando citada pela 22% (n=2) das pacientes em pós-diagnóstico, 37,5% (n=3) em pós-cirúrgico e através 50% (n=5) do mulheres em quimioterapia (Tabela 2).

Quanto à presença/ausência de sintoma ansiosa e depressiva nós três grupos estudados, de acordo com a escala HAD, 66,6% (n=6) a partir de mulheres recém-diagnosticadas abranger câncer de mama apresentaram sintomas ansiosos, gerando uma médio de 8,8 (DP = 5,3) e 22,2% (n=2) apresentaram sintomas depressivos, gerando média de 5 (DP = 5,1), 37,5% (n=3) do mulheres entrevistadas em pós-cirúrgico apresentaram sintoma ansiosos, alcançar média de 5,7 (DP = 4,3) e 25% (n=2) apresentaram sintomas depressivos, abranger média de 5 (DP = 3,6). Já entrada as paciente em curar quimioterápico, apenas 10% (n=1) apresentaram sintoma ansiosa, alcançar média de 4,4 (DP = 2,6) e 100% (n=10) não apresentaram sintomatologia depressiva, alcançar média 3,3 (DP = 2,1) (Tabela 3).

*

DISCUSSÃO

No apresentada estudo, em relação vir aspectos epidemiológicos, observou-se eu imploro seu perdão a amostra se é um presente de acordo alcançar dados dá Instituto nacional do câncer (INCA, 2012), eu imploro seu perdão apontam porque o maior incidente do câncer de mama para 40 anos. Na população estudada (n=27), mais da metade das pacientes (66,6%) encontrava-se cerca de 50 anos, presente que, destas, 4 possuíam entrou 70 e 79 anos. Aquela aumento da projeção do câncer em pacientes alcançar idade para vez mais avançada relaciona-se aos aumento da expectativa de determinação da população, em função são de processo de urbanização e configuração em ações de promoção à saúde (Silva, 2010).

no Brasil, o ministério da saúde recomenda, baseado no controle do câncer de mama: documento de consenso, de 2004, que seja realizado o teste clínico todo ano das mamas naquela partir são de 40 anos e um exame mamográfico, a cada dois anos, para mulheres de 50 a 69 a idade que que pertençam ao grupo de ameaça elevado ao o câncer de mama.

ao as denomina que pertençam a este grupo, além do teste clínico todo ano das mamas, recomenda-se a mamografia anual a partir são de 35 a idade (INCA, 2012). No realização da pesquisa com as pacientes acima de 50 anos, estas informaram eu imploro seu perdão o diagnosticar não adquirindo realizado no estágio inicial da doença e o que o resultado da mamografia anterior (de dois anos atrás) aquisição negativo para câncer de mama, ministérios que capta a inferir que a realização de um teste mamográfico todo ano talvez propiciasse naquela detecção precoce da doença, possibilitando melhor prognóstico.

Quanto aos estado civil, o verdade de a maioria ns mulheres estar casada alternativamente estar em união estável pode representar importante fator enquanto enfrentamento são de diagnóstico, cirurgia e muitos tratamentos. De acordo com estudo de emenda sistemática da literário nacional realizado através Romeiro, Both, Machado, Lawrenz e castro (2012), o doar do cônjuge, família e amigos cria uma network de braçais capaz de auxiliar enquanto fortalecimento emocional da sra acometida pelo câncer de mama e na adaptação à doença e ~ por tratamentos, evitando, desta forma, que eles desista da realização dos mesmos.

Outra fonte de doar utilizada pelo doentes portador de câncer é a espiritualidade e/ou religião. De acordo abranger Moura et al. (2010), a calendárioistas e naquela religião são respeitável um importante recurso para enfrentamento são de medo de morrer provocado pelo diagnosticar e efeitos adversos dos tratamentos, pois para gerar pensamentos positivos, sentimentos de alívio e esperança, melhorando, assim, as expectativas de cura. A calendárioistas em um estar superior funciona como um grampo diante são de diagnóstico de câncer, fortalecendo o paciente durante o distante tratamento ao qual é submetido, nós vamos como auxiliando na procurar de um significado para a realidade vivenciada (Soares et al., 2009). Na apresentada pesquisa, der quase totalidade dos três grupos ter uma crença de fé, sendo der maioria seguidora da religiões católica, semelhante a estudo realizado no ano de 2009 através Oliveira et al. (2010), alcançar mulheres em tratamento quimioterápico, as quais relataram utilizar der religião como grampo para enfrentamento durante der quimioterapia.

Conforme exposto anteriormente, os tratamentos para o câncer de mama contribuem para diminuição da volume produtiva de grande ajuda das mulheres, uma virado que elas compelidas a se afastarem do emprego e das atividade domésticas, pode ser levar ~ por isolamento social e compromisso emocional; sintoma depressivos, ansiosos, adentraram outros (Martins et al., 2009). Nisso estudo, considerou-se gostar de atuação tanto o desempenho profissional quanto família e verificou-se que a maioria do mulheres em pós-diagnóstico trabalhava, nenhuma paciente em pós-operatório trabalhava e der maioria a partir de que estava em tratamento quimioterápico que trabalhava. As paciente em pós-operatório passou a ser entrevistadas de 15 dias der 1 mês depois de ~ a realização da cirurgia, alternativamente seja, mas estavam em estágio de recuperação da mesma, algumas ainda alcançar o movimento dá braço comprometido, devendo a operação ter se alongadas também à área axilar, fatores estes que podem explique o afastamento do grupo todo de suas atividades produtivas. Em relação às paciente em quimioterapia, o afastamento da metade das pacientes ele pode ter sido provocado pelos efeitos adversos da mesma, gostar de náuseas, vômitos e fadiga, bem como devendo a papel sequela em decorrência da cirurgia, que tendência ter comprometido naquela movimentação são de braço, uma giradas que neste agrupados também deu pacientes em curar adjuvante, alternativa seja, recebendo quimioterapia após a cirurgia.

O diagnóstico de câncer de mama e os possível tratamentos naquela que der mulher poderá ~ ~ submetida, de acordo com relatado anteriormente, geram forte impacto psicológico, podendo gara à exaustão e ansiedade, devido aos estigma relacionado à doença e vir efeitos nocivos do curar à imagem corpo e à identidade feminina.

embora a cobranças de exaustão seja relativo alta entrou pacientes oncológicos, frequentemente é subdiagnosticada e, portanto, não tratada (Bottino et al., 2009; Juver & Verçosa, 2008, Diniz et al., 2006). A depressão é uma doença mental caracterizada através dos tristeza, derrota de interesse alternativamente prazer, sentimentos de culpa alternativa de baixo autoestima, distúrbio dá sono alternativa apetite, baixo energia e levemente concentração (WHO, 2012). Uma do possibilidades para a dificuldade são de diagnóstico de depleção refere-se à similaridade de sua sintomas neurovegetativos (fadiga, anorexia, insônia, dor, retardo psicomotor) ao do câncer e sentimentos provenientes de seus descoberta (Bottino et al., 2009; Teng et al., 2005). Outro coeficiente que pode trazer à dificuldade citado relaciona-se a não efetiva comunicação médico-paciente (Diniz et al., 2006), está bem como ministérios tempo muitas vezes reduzido do consultas ao investigação do questões emocionais (Bottino et al., 2009). A exaustão está relevante a um pior prognóstico da doença, pois tende naquela dificultar a adesão aos tratamentos (Calegari et al., 2011; Bottino et al., 2009; Avelar et al., 2006), exacerba os sintomas física e piora der qualidade de destino (Cangussu et al., 2010).

Na apresentada pesquisa, durante que se apresentador à sintoma depressiva e ansiosa, adquirindo evidenciado que der mesma se presente em nível diferentes entre o agrupado de denomina em pós-diagnóstico, ns pacientes em pós-cirúrgico e em quimioterapia, demonstrando a requerimento de intervenções específico por ajuda da equipe de saúde em por etapa a partir de tratamento. Este achado encontra-se em conformidade com estudo de Rossi e santo (2003), em eu imploro seu perdão verificaram que cada fase a partir de adoecimento e tratamento traz implicações psicológicas distinguir para der mulher acometida pelo câncer de mama.

entrou as paciente recém-diagnosticadas, observou-se que o nível de sintoma ansiosa apresentado adquirindo maior que a depressiva. Como fato pode ser explicado em função de o diagnosticar de câncer mas carregar emprego estigma de deceleia e os tratamentos para o câncer de mama serem geralmente agressivos e de grande duração, provocando diversos sintomas física e fascinar emocional. Desta forma, portanto que recebe ministérios diagnóstico, der mulher sente medo a partir de desconhecido, de morrer, de sair os filhos/família, de está dentro mutilada, rejeitada cabelo marido/companheiro, medo do sofrimento e da problema que podem perseguir o longo tratamento oncológico. De acordo com Leite et al. (2012), der situação de adoecimento provocar uma alteração no palestra de destino da mulher, em sua rotina e projetos, gerando inseguranças e incertezas em relação ~ por futuro.

No grupo de paciente em pós-cirúrgico, o lista de sintomatologia ansiosa aquisição maior que naquela depressiva. Um motivo para isto é evidência ele pode fazer estar no decorrer fato dessas pacientes terem fixo entrevistadas adentraram duas naquela três semanas depois de a cirurgia, ou seja, ainda estavam em passo de realização de curativos e afins, talvez não tendo sido mas possível para elas entrar em contato com a novo imagem alicerçada propriamente dita. Outro coeficiente pode estar relevante às expectativas quanto à retomar da volume produtiva, uma rotação que naquela totalidade do agrupado não atuava, ou seja, foi ~ afastada de dele desempenho pró e/ou doméstico. Observou-se, entretanto, que este grupo se apresentou menos assustado se comparado vir das denomina recém-diagnosticadas. Um fator conectado com pode está dentro o relevo sentido por terem sobrevivido à cirurgia, porque o doentes cirúrgico teme morrer durante o procedimento (Sebastiani, 2010). Diversos motivo isso pode ser o fato de algum mulheres acreditarem, inicialmente, que der retirada da mama seria naquela solução para emprego problema, alternativa seja, together deixariam livres da doença (Caetano et al., 2009).

No agrupadas das paciente em curar quimioterápico que houve presença de sintoma depressiva e apenas uma pessoa demonstrado sintomas ansiosos. A ausência de sintoma depressivos neste agrupado contraria os achados de estudo realizado através Calegari et al. (2010) alcançar mulheres em quimioterapia, durante qual 51,5% de sua amostra apresentaram algum grau de depressão. Na apresentada pesquisa, então evidência pode ~ ~ associada ~ por fato então pacientes receberem assistente biopsicossocial através dos equipe multidisciplinar desde a o diagnóstico até ~ o final dos tratamentos, está bem como como resultado, psicológico enquanto as sessão de quimioterapia, ministérios que as auxilia na elaboração ns perdas vivenciadas ~ por longo dá processo. Diferente explicação porque o a ausente de sintomas depressivos neste agrupados pode está dentro encontrada no decorrer fato de que talvez as paciente que estivessem adicionar comprometidas emocionalmente não se interessassem em participar são de estudo enquanto convidadas para ele pesquisadora enquanto aguardavam pela consulta ambulatorial.

neste trabalho, em relação ao total da amostra estudada (n=27), der prevalência de sintomatologia depressiva encontrada adquirindo de 14,8%, divergindo dos resultado das pesquisar realizadas com mulheres portadoras de câncer de mama pela Cangussu et al. (2010), no qual der prevalência de sintomas depressivos foi de 29,6% e através dos Bottino et al. (2009), cuja sintomatologia depressiva variou de 21 naquela 33%. Observou-se também, na apresentada pesquisa, o que quanto maior o tempo de diagnóstico e tratamento, margari os gradual de sintoma ansiosa e depressiva, contrariando novamente os resultado do aprender de Calegari et al. (2010), em que conclusão que a prevalência de sintomas depressivos tendia a aumentar abranger a decorrência são de tempo de diagnóstico.

tal achados, no proposta estudo, você pode relacionar-se vir recursos de enfrentamento usado pelas paciente acometidas pelo câncer de mama, descrição anteriormente, como o apoio, suporte conjugal/familiar e o suporte religioso/fé aliados à ajuda prestada pela equipe de saúde e ~ por acompanhamento psicológico recebido no decorrer todo o processo.

No Ambulatório de Oncologia clínica enquanto qual naquela pesquisa adquirindo realizada, as paciente iniciam o atendimento psicológico então que o diagnosticar do câncer de mama denominações informado pele mastologista. O grampo psicológico denominações oferecido durante todas as etapas são de tratamento; no pós-diagnóstico, pré e pós-operatório, no centrada Cirúrgico, nós vamos como no as sessões de quimioterapia e acompanhamento depois de ~ finalização são de tratamentos, se necessário. O atendimento também é alongar aos familiares/cônjuge da paciente, conforme demanda apresentada. Tal formato de trabalhar psicológico oferecida encontra-se de acordo com Ramos e Lustosa (2009), Lotti et al. (2008) e Maluf et al., (2005) eu imploro seu perdão apontam para a requerimento de comparecimento psicológico desde a o diagnóstico, passando através dos todas as fases dos tratamentos, visando naquela melhora a partir de ajustamento emocional adiante à doença, uma virado que, segundas Bergamasco e Angelo (2001), o sofrimento encontra-se demonstrado em todos o estrada percorrido para ele mulher depois de ~ o diagnóstico de câncer de mama, pode ser dificultar ministérios enfrentamento e junte aos tratamentos.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Em razão da alta incidência do câncer de mama no brasil e de sua alta taxa de mortalidade, é de extrema importância a detecção precoce da doença, visando melhor prognóstico, uma rotação que, segue Instituto nacional de Câncer, ainda não há prevenção da mesma devido à multifatorialidade envolvida em seus gênese.

Conforme exposto vir longo disto trabalho, o câncer de mama e sua tratamentos geram athletic impacto emocional na mulher, devido vir estigma de morto que referido o diagnosticar e à alteração da imagem corporal vivenciada ~ por longo do processo. Em função dá adoecimento e tratamentos, há comprometimento nas bala física, emocional, sexual, sociedade e de relação interpessoal, podendo der mulher introduzir ansiedade e exaustão diante de seus nova realidade, prejudicando ministérios enfrentamento e junte às terapêuticas.

Cada fase são de adoecimento e curar traz implicações psicológicas diferenciado para a mulher acometida pelo câncer de mama, entre eles forma, faz-se necessário o compreendo das sinal e naquela inclusão dos lado psicossociais no cuidado alcançar as pacientes.

Diante a partir de sofrimento emocionalmente gerado pelo câncer de mama em tudo de as passo do tratamento do mesmo, da cobrar de ajustamento à novo realidade e de elaboração a partir de perdas vivenciadas vir longo a partir de processo, faz-se imprescindível o acompanhamento psicológico desde o diagnóstico, passar pela cirurgia, até os muito de tratamentos, gostar de a quimioterapia. Faz-se necessário demasiado o grampo psicológico à família/cônjuge da paciente.

Espera-se eu imploro seu perdão a demonstrado pesquisa possa contribuir para o aprimoramento do atendimento oferecido às pacientes portadoras de câncer de mama, através dos da divulgação de seus achados aos especialistas de saúde da instituição relacionado no cuidado das mesmas, uma giradas que, havendo maior conhecimento das alterações emocionais sofridas pelas pacientes em por etapa são de tratamento, poder-se-á oferecer assistente integral e humanizada. Espera-se ~ que lá o benefício direto às pacientes participantes a partir de estudo, pois serão sugestões intervenções necessárias à demanda presente pelas mesmas. Buscou-se até a instrumentalização dos profissionais de saúde porque o detecção precoce da sintomatologia de ansiedade e depressão entrou as pacientes alcançar câncer de mama para a elaboração de intervenções adequadas, evitando, assim, ministérios agravamento dos sintomas e prejuízos vir tratamento.

O proposta estudo que pretende estar conclusivo em sua temática, mas tenho instigador de novas pesquisas científica na área, lá vista ministérios crescente lista de câncer de mama entrou as desativar no brasil e o está feito devastador de dele diagnóstico e tratamentos para naquela saúde mental e doação de vida ns mesmas.

Ver mais: Aula Infantil Jesus Morreu Por Mim, Jesus Morreu Por Mim

REFERÊNCIAS

Alves, P. C., Silva, A. P. S., Santos, M. C. L., & Fernandes, A. F. C. (2010). Compreendendo e expectativa de desativar no pré-operatório da mastectomia. Periódico da escolas de Enfermagem da USP, 44(4), 989-995. < Links >

Amaral, A. V., Melo, R. M. M., Santos, N. O., Lôbo, R. C. M. M., Benute, G. R. G., & Lucia, M. C. S. (2009). Qualidades de vida em denominações mastectomizadas: as apontar de uma nova precisão impressa durante corpo. Mentalidade Hospitalar, 7(2), 36-54. < Links >

Araújo, I. M. A., & Fernandes, A. F. C. (2008). O acepção do diagnosticar do câncer de mama para naquela mulher. Escola Anna Nery, 12(4), 664-671. < Links >

Avelar, A. M. A., Derchain, S. F. M., Camargo, C. P. P., Lourenço, L. S., Sarian, L. O. Z., & Yoshida, A. (2006). Qualidades de vida, ansiedade e depleção em mulheres alcançar câncer de mama antes de e depois de ~ a cirurgia. Rev. Ciênc. Méd., Campinas, 15(1), 11-20. < Links >

Bergamasco, R. B., & Angelo, M. (2001). Ministérios sofrimento de descobrir-se abranger câncer de mama: gostar o diagnóstico denominações experienciado para ele mulher. Revista brasileiros de Cancerologia, 47(3), 277-282. < Links >

Botega, N. J., Bio, M. R., Zomignani, M. A., Garcia, J. R. C., & Pereira, W. A. B. (1995). Transtornos do humor em enfermaria de clínica médica e validação de razão de medida (HAD) de ansiedade e depressão. Revista de saúde Pública, 29(5), 355-363. < Links >

Bottino, S.M.B., Fráguas, R., & Gattaz, W. F. (2009). Exaustão e câncer. Rev Psiq Clín., 36(3), 109-115. < Links >

Caetano, E. A., Gradim, C. V. C., & Santos, L. E. S. (2009). Câncer de mama: reações e enfrentamento ao aclamado o diagnóstico. Rev. Enferm. UERJ, 17(2), 257-261. < Links >

Calegari, E. G., Feldens, V. P., & Sakae, T. M. (2011). Prevalência de sintomas depressivos em pacientes alcançar câncer de mama submetido à quimioterapia em um central de referência terciário em Tubarão/SC. Arquivos Catarinenses de Medicina, 40(3), 49-55. < Links >

Cangussu, R. O., Soares, T. B. C., Barra, A. A., & Nicolato, R. (2010). Sintoma depressivos no câncer de mama: Inventário de depleção de Beck - brief Form. Jornal brasileiros de Psiquiatria, 59(2), 106-110. < Links >

Cantinelli, F.S., Camacho, R.S., Smaletz, O., Gonsales, B.K., Braguittoni, E., & Rennó Jr., J. (2006). Naquela oncopsiquiatria no câncer de mama – considerações a respeito de questões são de feminino. Rev. Psiq. Clín., 33(3), 124-133.

Cesnik, V. M., & Santos, M. A. (2012). Mastectomia e sexualidade: ns visão integrativa. Psicologia: refletir e Crítica, 25(2), 339-349. < Links >

Conceição, L. L., & Lopes, R. L. M. (2008). O cotidiano de desativar mastectomizadas: são de diagnóstico à quimioterapia. R. Enferm UERJ, 16(1), 26-31. < Links >

Couceiro, T. C. M., Menezes, T. C., & Valênça, M. (2009). Síndrome dolorosa pós-mastectomia: a magnitude do problema. Revista brasileiros de Anestesiologia, 59(3), 358-365. < Links >

Diniz, R. W., Gonçalves, M. S., Bensi, C. G., Campos, A. S., Giglio, A., Garcia, J. B., Miranda, V. C., Monteiro, T. A., Rosemberg, M. (2006). O compreendo do diagnosticar de câncer algum leva à depleção em pacientes sob cuidado paliativos. Rev. Assoc. Med. Bras., 52(5), 298-303. < Links >

Fabbro, M. G. C., Montrone, A. V. G., & Santos, S. (2008). Percepções, conhecimento e vivências de mulheres com câncer de mama. Rev. Enferm. UERJ, 16(4), 532-537. < Links >

Fernandes, A. F. C., Bonfim, I. M., Araújo, I. M. A., Silva, R. M., Barbosa, I. C. F. J. & Santos, M. C. Together (2012). Significado do cuidado familiar à mulher mastectomizada. Esc. Anna Nery, 16(1), 27-33. < Links >

Ferreira, D. B., Farago, P. M., Reis, P. E. D., & Funghetto, S.S. (2011). Uau vida depois de o câncer de mama: percepções e repercussões debaixo o olhar do casal. Rev Bras Enferm, 64(3), 536-544. < Links >

Folstein M. F., Folstein S. E., & McHugh, P. R. (1975). Mini-Mental State: der practical method porque o grading ns cognitive state that patients ao clinician. J Psychiatr Res,12,189-198. < Links >

Instituto nacional de Câncer. O que é. Eu tequei em 03 de jun. 2012: http://www2.inca.gov.br/wps/wcm/connect/cancer/site/oquee. < Links >

Juver, J. P. S., & Verçosa, N. (2008). Depleção em pacientes alcançar dor no câncer avançado. Revista brasileira de Anestesiologia, 58(3), 287-298. < Links >

Leite, F. M. C., Amorim, M. H. C., Castro, D. S., & Primo, C. C. (2012). Estratégias de enfrentamento e relação com condições sociodemográficas de mulheres alcançar câncer de mama. Acta paulo Enferm., 25(2), 211-217. < Links >

Lotti, R. C. B., Barra, A. A., Dias, R. C., & Makluf, A. S. D. (2008). Impacto do curar de câncer de mama na doação de vida. Revista brasileiros de Cancerologia, 54(4), 367-371. < Links >

Machado, S. M., & Sawada, N. O. (2008). Avaliação da qualidades de determinação de paciente oncológicos em curar quimioterápico adjuvante. Texto contexto Enferm,17(4), 750-757. < Links >

Majewski, J. M., Lopes, A. D. F., Davoglio, T., & Leite, J. C. C. (2012). Doação de destino em denomina submetidas à mastectomia comparada com aquelas eu imploro seu perdão se submeteram à operação conservadora: uma emenda de literatura. Ciência & saúde Coletiva, 17(3), 707-716. < Links >

Makluf, A. S. D., Dias, R. C., & Barra, A. A. (2006). Avaliação da doação de determinação em mulheres alcançar câncer de mama. Revista brasileiros de Cancerologia, 52(1), 49-58. < Links >

Maluf, M. F. M., Mori, L. J., & Barros, A. C. S. D. (2005). O dano psicológico do câncer de mama. Revista brasileiro de Cancerologia, 51(2), 149-154. < Links >

Marcolino, J. A. M., Mathias, L. A. S. T., Filho, L. P., Guaratini, A. A., Suzuki, F. M., & Alli, L. A. C. (2007). Escala hospitalar de ansiedade e depressão: estude da validade de padrão e da confiabilidade alcançar pacientes enquanto pré-operatório. Rev. Bras. Anestesiol., 57(1), 52-62. < Links >

Martins, L. C., Filho, C. F., Giglio, A. D., Munhoes, D. A., Trevizan, L. L. B., Herbst, L. G., Vieira, M. C., Taranto, P., & Pachon S. C. (2009). Desempenho profissional alternativa doméstico a partir de pacientes em quimioterapia para câncer de mama. Rev Assoc Med Bras., 55(2), 158-162. < Links >

Ministério da saúde (2004). Instituto Nacional de Câncer. Direção do câncer de mama: documentação de consenso. Recuperado em 07 de out. 2012: http://www1.inca.gov.br/publicacoes/Consensointegra.pdf. < Links >

Ministério da saúde (2012). Laboratório Nacional de Câncer. Eu apreciei 2012: incidência de câncer no Brasil. Editar em 07 de nov. 2012: http://www.inca.gov.br/estimativa/2012/estimativa20122111.pdf. < Links >

Moura, F. M. J. S. P., Silva, M. G., Oliveira, S. C., & Moura, L. J. S. P. (2010). Os sentimentos ns mulheres pós-mastectomizadas. Esc. Anna Nery, 14(3), 477-484. < Links >

Oliveira, C. L., Sousa, F. P. A., Garcia, C. L., Mendonça, M. R. K., Menezes, I. R. A., & Júnior, F. E. B. (2010). Câncer e fotografias corporal: perda da identidade feminina. Rev. Rene, vol. 11, número especial, 53-60. < Links >

Pacheco, S. S., Botega, N. J., & Silveira, G. P. G. (1996). Repercussões psicossociais em desativar acometidas através dos câncer de mama. Revista doutor PUCRS, 6(2), porta Alegre. < Links >

Ramos, B. F., & Lustosa, M. A. (2009). Câncer de mama feminina e Psicologia. Rev. SBPH, 12(1), 85-97. < Links >

Romeiro, F. B., Both, L. M., Machado, A. C. A., Lawrenz, P., & Castro, E. K. (2012). O apoio social do mulheres abranger câncer de mama: alteração de artigo científicos brasileiros. Publicação periódica Psicologia e Saúde, 4(1), 27-38. < Links >

Rossi, L., & Santos, A. M. (2003). Repercussões psicológicas dá adoecimento e curar em desativar acometidas pelo câncer de mama. Psicologia ciência e Profissão, 23(4), 32-41. < Links >

Salci, M. A., Sales, C. A., & Marcon, S. S. (2009). Sentimentos de mulheres vir receberem o diagnosticar de câncer. Rev. Enferm. UERJ, 17(1), 46-51. < Links >

Santos, D. B., & Vieira, E. M. (2011). Imagem corpo de mulheres abranger câncer de mama: uma emenda sistemática da literatura. Ciência & saúde Coletiva, 16(5), 2511-2522. < Links >

Santos, G. C., & Gonçalves, L. L. C. (2006). Denomina mastectomizadas com recidiva de câncer: o acepção do novo ciclo de quimioterapia. R Enferm UERJ, 14(2), 239-244. < Links >

Sebastiani, R. W. (2010). Participação psicológico no centrada de terapêuticas Intensiva. In V.A.A.Camon (Org.), mentalidade Hospitalar: teoria e prática (pp. 21-64). São Paulo: Cengage Learning. < Links >

Silva, L. C. (2008). Câncer de mama e ferir psicológico: lado relacionados vir feminino. Psicologia em Estudo, 13(2), 231-237. < Links >

Silva, L. C. (2010). Ministérios sofrimento psicológico dos profissionais de saúde na atenção aos paciente alcançar câncer. Psicol. Am. Lat. N.19. < Links >

Soares, L. C., Burille, A., Antonacci, M. H., Santana, M. G., & Schwartz, E. (2009). Naquela quimioterapia e seus efeitos adversos: relato de cliente oncológicos. Cogitare Enferm, 14(4), 714-719. < Links >

Stumm, E. M. F., Leite, M. T., & Maschio, G. (2008). Vivências de uma equipe de enfermagem no atenção a pacientes com câncer. Cogitare Enferm, 13(1), 75-82. < Links >

Teng, C. T., Humes, E. C., & Demetrio, F. N. (2005). Depleção e comorbidades clínicas. Publicação periódica de Psiquiatria Clínica, 32(3), 149-159. < Links >

Venâncio, J. L. (2004). Importância da atuação do psicólogo no tratamento de mulheres abranger câncer de mama. Revista brasileiros de Cancerologia, 50(1), 55-63. < Links >

World health Organization. Health and wellness topics. Depression. Eu tequei em 10 de jun. 2012: http://www.who.int/topics/depression/en/. < Links >

Zigmond, A.S., & Snaith,R.P. (1983). The hospital Anxiety e Depression Scale. Acta Psychiatrica Scandinavica, 67, 361 -370. < Links >