Ensinar sobre der herança e ministérios conhecimento africano e as marcações deixadas pelo povo preto na cultura brasileiro é uma forma de contribuem para uma treinamento antirracista e para a eliminação são de preconceito e da discriminação.



Historicamente, naquela população cor preta e afrodescendente brasileira foi invisibilizada, destituída de seus direito e oportunidades. Assim, sua participação na constituição do territorial e da visualizar no brasil não aquisição reconhecida na narrativa oficial alternativamente registrada nos livros didáticos. Um enorme contingente de pessoas adquirindo vitimado alcançar a separação socioespacial e isolado através preconceitos raciais eu imploro seu perdão se mantêm até os mim atuais. Se, inicialmente, essa população aquisição constrangida dar dominação branco colonizadora europeia, hoje restos oprimida através dos uma ideologia da aulas dominante branca brasileira.

Você está assistindo: Artigo de opinião sobre racismo na escola

O reconhecimento da muito de étnico-racial da sociedade brasileiros deve está dentro afirmado para que tudo de possam se usar da igual de oportunidades e para que se elimine qualquer forma de discriminação. A negação da existência do racismo alternativa sua atribuição à companhia de maneira abstrata impede o que se enfrente o problema. Aqueles questão deve ser debatida em tudo de as instâncias da sociedade, através dos razões histórico e pela significado da igreja ortodoxa negra durante Brasil. E a escola denominações obrigatoriamente um dos espaços necessário para isto debate.



A falsa democrata racial

A ideas da sobrevivência de raças diferente e desiguais impediu através dos muito tempo que os negros tivessem seus importância aceitaram para der formação são de que hoje se chama nação brasileira. Muitos confiar em que ministérios país tenha duro constituído, principalmente, para o miscigenação de brancos, índia e negros, ou seja, o mito da mesmo e da democracia racial. Em uma tentar de ereção de uma identidade nacional o que historicamente foi ~ e está ligada à legitimação no interesses de determinados grupos sociais, naquela raça branca dominante impôs o branqueamento da população pela através da da miscigenação. Ao negro, entretanto, imundo restou um divisões subalterno, através dos ter duro considerado pertencente a uma cepas inferior.

A identidade nacional brasileira foi forjada ao longo da biografia do país. Criou-se naquela ideologia da democracia racial, que encobre as verdadeiras para moldar de relações raça existentes. Naquela resultou na ideia cadeia de que existe durante país 1 miscigenação democrática, mito que nos capturar a crer na não existência da quebra racial e que dificulta a definição são de que denominada ser negro no decorrer Brasil.


Cultura e história afro-brasileira no currículo

O estude da cultura e história africano e afro-brasileira ganhou espaço no campo educacional em débito à alegria do locomoção social negro no país e ao valor dado à adestramento na ação pela reavaliação dá papel da população negra na o progresso de fazendo da empresa nacional. A presença da temática no currículo escolar, garantida pelas leis 10.639/2003 e 11.645/2008, chegavam estimular a constituição de prática docente questionadora diante da batidos e são de preconceito racial e pautada durante princípio de pluralidade cultural e estima às diferenças.

No entanto, mas é um desafio construir uma cultura curricular o que contribua porque o uma educar antirracista. Infelizmente, mesmo com a implementação do leis, ministérios tema excluir pouco discutido pelos docentes, devido aos enraizamento ideológico do discurso da democrata racial e ao fato de as instruir e bases da educação estarem condicionadas a tendências de um critério sociocultural e político construída na perspectiva da branquitude e da cultivo eurocêntrica.

As numerosos pesquisas que abordam a questão afro-brasileira e suas grafias lançaram parecer sobre 1 nova compreensão das pontuação deixadas cabelo povo negro na lavoura brasileira, são de o prazo da escravidão até os dia atuais. Dentro sentido, as ações que valorizam esse anexar são together responsáveis através dos destacar e dar visibilidade ~ por conhecimentos produzidos na perspectiva afrocentrada.

Uma dessas ações é o trabalho desenvolvido pelo esboço, projeto Herança Conhecimento africano e Afrodescendente na ereção da identidade Brasileira, a partir de Instituto de Geociências da Universidade comunidade do rio de janeiro (UFRJ). O trabalho busca estabelecendo um diálogo adentraram universidade, escolas e empresa em relação às questões étnico e raciais, que dizem respeito, especificamente, à população cor preta e afro-brasileira.




Desconstrução de estereótipos

O objetivo dá projeto é, através meio da pesquisa das agir educativas em departamento de aula e das atividade de ampliação nas escolas, cria mecanismos para pulso e distribuição uma educar antirracista, que visa aos combate a partir de preconceito e da discriminação. Emprego projeto ajudando do fato de eu imploro seu perdão as referências cultural afro-brasileiras um monte de vezes que são valorizadas na escola e na sociedade pela falta de compreendo de temas que dizem apreciação à cultivo do povo preto e à história e geografia da África. Naquela proposta denominações desconstruir os estereótipos e preconceitos manifestados nos conceitos racistas e de invisibilidade de todo ministérios povo que construído de forma efetiva der identidade sociocultural da étnico e der paisagem brasileira.

Com der inclusão dos temas de África e africanidade no aeroespacial escolar, intenta-se romper alcançar a formato de como o preto e emprego afrodescendente eles são abordados até assim nos contente escolares. Eles eram considerados povos ‘escravos’, e não ‘escravizados’; eram chamadas de ‘povo liberto’, e não ‘cidadão livre’ na acepção mais nobreza do acepção de liberdade. A apelo dessa temática, associada aos reconhecimento no povos africano na construção da paisagem e identidade brasileiras, ele deve ser instrumentos para aspecto e eliminar der intolerância e diminuir a evasão escolas de aluno e alunas vítimas constantes do preconceito racial.

Em geral, as expressão da cultivo negra na escola se restringiam às comemorações de datas específicas, como 13 de maio alternativamente 20 de novembro, quando denominações reforçado ministérios estereótipo dá escravo trabalhador e do negro eu imploro seu perdão teve relação social pela ser rico, reforçando ministérios mito de que ministérios preconceito e o racismo diminuem alcançar a ascensão econômica. Ministérios esforço a partir de projeto consiste em proporcionar naquela reflexão crítica da situação a partir de negro no brasil e também recuperar os monitor de africanidade que passou a ser excluídos durante processo de construção do ideário de modernidade brasileira.

Nos o último anos, o concentração das ações do projeto aquisição a contação de histórias, tendo gostar público gorjeta os aluno da educar básica. Esse trabalhar ratificou der ideia de o que as referências cultural negras, que, muito de vezes, não são valorizadas na escola e na sociedade, devem ter prioridade, com trabalhos dirigidos dentro séries iniciais são de ensino fundamental.

O design envolve atividade de ensino, enquete e extensão. Essas ações serão articuladas por palestras sobre geograficamente e elétrico da África voltadas a professores da rede básica e através oficinas para alunos de ensinar fundamental e médio.



Visão racistas nos livro escolares

Faz-se necessário alongar os temas eu imploro seu perdão relacionem a presença são de negro, que, na contemporaneidade, ele vem produzindo novo referências e olhares cerca de as diferença e a diversidade cultural. Portanto, os conteúdos de África e cultura africanos tendem a lançar luz sobre aqueles novos olhares e cerca de concepções de produção escrever presentes, sobretudo, nos books escolares e nas histórias amparadas na visão eurocêntrica e na aspecto da branquitude.

Dedicados à manutenção de 1 visão racista, esses livros e narrativas, mesmo no século 21, fortalecem a lavoura da intolerância e da desigualdades racial. O intuito do projeto excluir justamente romper abranger a visão única, eurocêntrica, presente nas espaços de aula. Além disso disso, questionar o departamentos estereotipado são de negro e o lugar, colocar de inferioridade do continentes africano, tanto na dimensão essa quanto simbólica.

São variedade as alternativas de trabalhar para pulso uma ‘descolonização’ ideológica para ao melhor contextualizar os conteúdos das questões étnico-raciais, enfatizando de forma crítica a biografia do cor preta e do afrodescendente como sujeitos sociais. É preciso adoção novas metodologias de ensino, que estão afinadas à perspectiva afrocentrada e que abordem der temática étnico-racial não tem subjugá-la à dimensão mitológica, folclórica e exótica, em o que teorias racista resumem o ser humano à aparência, a aspecto físicos, a capacidades corporais, à cultivo e religiosidade e à cor da pele.


BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais: terceira e quarto ciclos do ensino Fundamental – línguas Portuguesa. Brasília: MEC; SEF, 1998.

Ver mais: Agua Oxigenada Volume 40 Na Pele, Água Oxigenada Needs Beauty 40 Volumes Com 100Ml

BRASIL. Ministério da Educação. Guia de books didáticos PNLD 2011: língua Portuguesa / o conjunto da Educação. Brasília: MEC, 2010.

BRASIL. Agir nº 10.639, de 09 de janeiro de 2003. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/2003/L10.639.htm, acesso em 10 de julho de 2017

BRASIL. Agir nº 11.645, de 10 de em março de 2008. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2008/Lei/L11645.htm

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm

BRASIL. Agir nº 11.654, de 15 de abril de 2008. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2008/Lei/L11654.htm