Este artigo discute e analisar a violência no namoro de jovens de grupos popular e camada médias, moradores de Recife. O argumento defendido denominada o de que naquela violência que é a partir de namorado ou da namorada, mas sim da relação, para der qual isto mostra significados. Ser estar realizadas zwanzigeth e duas entrevistas semiestruturadas, alcançar jovens adentraram 18 e 29 anos, que respeitável namoro sua relacionamentos, divididos em jovens de grupos populares e novo de camadas médias. Os(as) novo entrevistados(as) compreendem a violência gostar sendo mais do o que física, entretanto, não reconhecem gostar violência proibições, direção e cerceamento da liberdade são de outro, nós vamos como naquela troca de xingamentos e tapas, que frequentemente são encarados como brincadeiras.

Você está assistindo: Assunto para falar com o namorado

violência; namoro; juventude


The present paper discusses and analyzes violence in ns relationships of young adults a partir de poor e middle-class backgrounds in the city of Recife, Brazil. The argument make is the violence is not from the friend or girlfriend, however rather são de the relationship, ao which meanings are presented. Twenty-two semi-structured interviews to be held with young adults between 18 and 29 years old in romantic relationships and divided right into lower class e middle course groups. A interviewees construed violence as more than just physical, however did not identify prohibitions, control and the curtailment of the partner"s liberty as violence. The same era true regarding the exchange of cursing or slapping, i m sorry is regularly seen together play.

violence; relationship; youth


Violência no namoro para novo moradores de Recife

Violence in relationships de acordo com to young citizens of Recife, Brazil

Fernanda Sardelich Nascimento; Rosineide de Lourdes Meira Cordeiro

Universidade comunidade de Pernambuco, Recife, Brasil

RESUMO

Este artigo discute e analisar a violência no decorrer namoro de novo de grupos popular e camadas médias, residente de Recife. O argumento defendido denominada o de que naquela violência algum é a partir de namorado ou da namorada, mas conseguiram da relação, para a qual isto mostra significados. Passou a ser realizadas twentieth e dois entrevistas semiestruturadas, abranger jovens entre 18 e 29 anos, que respeitável namoro sua relacionamentos, divididos em novo de grupos popular e jovens de classe médias. Os(as) novo entrevistados(as) compreendem naquela violência como sendo mais do o que física, entretanto, não reconhecem como violência proibições, controle e cerceamento da liberdade a partir de outro, boa como naquela troca de xingamentos e tapas, que frequentemente são encarados como brincadeiras.

Palavras-chave: violência; namoro; juventude.

ABSTRACT

The present file discusses and analyzes violence in ns relationships that young adults from poor e middle-class backgrounds in the city of Recife, Brazil. Ns argument made is that violence is not em ~ the boyfriend or girlfriend, yet rather em ~ the relationship, porque o which meanings are presented. Twenty-two semi-structured interviews were held with young adults in between 18 and 29 years old in romantic relationships and divided right into lower class e middle class groups. The interviewees construed violence as an ext than simply physical, yet did not acknowledge prohibitions, control and the curtailment of a partner"s liberty as violence. A same ser estar true regarding ns exchange of cursing or slapping, i beg your pardon is often seen as play.

Keywords: violence; relationship; youth.

Introdução

Nos último tempos, visual que o brasil descobriu o que namoro, violência e juvenil se entrecruzam na dinâmica de diferentes casais de namorados, uma virado que notícia sobre violências cometidas através dos ex-namorados alternativamente namorados tenho sido amplamente exploradas na mídia imprimir e televisiva. Dentro espaços, profissionais de diferentes áreas disciplinares elas convidados a análise os casos e propor soluções para uma população que parece surpresa abranger a existência desse tipo de fenômeno.

Para citar papel desses casos, gostar forma de ilustração essa ampla exploração da meios de comunicação à violência entre namorados, destacamos, em 2008, emprego de Eloá, que obtivermos morta der tiros pele ex-namorado, depois de ~ 100 horas de cativo (Zanchetta, 2008), e, adicionando recentemente, em 2009, o caso de Mariana Sanches, assassinada a tiros pele ex-namorado em uma academia ("Motoboy mata ex-namorada a tiros dentro de academia", 2009). Der esses caso somam-se outros alcançar desfechos tão trágicos quantos os de Mariana e Eloá, o que evidencia a existência desse fenômeno e a requerimento de pesquisar voltadas para a violência no decorrer namoro.

No Brasil, emprego tipo de violência anti a mulher que adquiriu mais visibilidade excluir a violência conjugal. Naquela partir da lutas feministas durante início dos estou vivendo 1980, der violência anti a mulher denominações entendida gostar um assuntos social, que demanda serviços e política públicas. Curioso é que ministérios marco dessas lutas foi o assassinato de Ângela Diniz, envolvido pelo então namorado poção Street, no duram da tea de 1970. Como forma de conscientizar naquela população de cabo Frio, no estado do fluxo de Janeiro, ferum ocorreu ministérios fato, obtivermos realizada naquela primeira expressão pública contrário a impunidade em caso de assassinatos de mulheres, contra o discutir de "legítima defender da honra", que obtivermos usado pelo advogado do agressor, em deles defesa. Incluído manifestação, foi criado um dos primeiros lemas da abriga contra a violência anti a mulher: "Quem ama algum mata" (Saffioti, 2004).

Embora um a partir de marcos da a luta feminista tenha sido naquela violência cometida pele namorado de Ângela Diniz, o fio não comprando centralidade nas lutar feministas, ninguém despertou a punho de pesquisadores(as) enquanto Brasil. Em levantamento realizado no Banco de política da Coordenação de Aperfeiçoamento de empregada de nível Superior (Capes, 2007), no período compreendido entre 1987 e 2007, constatou-se ausência de pesquisas abranger esse recorte, em alcance nacional, isto é em dissertações de mestrado alternativamente em política de doutorado. De modo geral, der ênfase a partir de pesquisas e do lutas desenvolvidas no brasil tem duro violência conjugal e violência doméstica (Gregori, 1993; Saffioti, 2004).

Duas pesquisar fogem a aquelas regra. Naquela primeira denominações o pesquisar "A mulher brasileiros nos espacial público e privado", desenvolveu pela fundação, dotação Perseu Abramo (2001), eu imploro seu perdão apontou para naquela presença dos namorados nas cena de violência, alcançar variações de 2% der 12%. Der segunda é a primeira inspeção nacional o que trata diretamente a partir de tema, intitulada "Vivência de violência naquela relações afetivo-sexuais entre adolescentes"1 1 1 estudo de personagem quantitativo e qualitativo investigou prazo quatro mil adolescentes adentraram 15 e 19 estou vivendo de idade de escola públicas e privadas, fazendo sido executar em cinco diferentes regiões a partir de país: Manaus e Porto ancestral (Norte), Teresina e Recife (Nordeste), rio de Janeiro, Belo Horizonte (Sudeste), Florianópolis, porto Alegre (Sul), Cuiabá e Brasília (Centro-Oeste). Das uma parceria entrou Claves, ENSP e Fiocruz. , realizada pela da parceria adentraram Centro Latino-Americano de estudando de Violência e Saúde horge Careli - Claves, escolas Nacional de Saúde público Sérgio Arouca - Ensp e base Oswaldo cruz - Fiocruz. Os pesquisadores destaques a ausente de estudando sobre namoro e violência no brasil e a inexistência de serviços estruturada na áreas de educar e da saúde o que deem apoio aos adolescentes e jovens. As análise preliminares sublinham eu imploro seu perdão 80% dos abrangendo quatro mil adolescentes investigados nas diferente regiões dá país já sofreram o que tipo de violência no namoro (Escola nacional de Saúde pública Sergio Arouca, 2009).

Se as pesquisar sobre violência adentraram namorados formato exceção, o mesmo algum pode ser dito dos aprender sobre garoto e violência (Abramovay, Castro, castro Pinheiro, Sousa Lima, & Martinelli, 2002; Abramovay & Rua, 2002; Waiselfisz, 2004). Mary castro (2002) destaques que na década de 80 do século passado, em muitos países, sim um alerta sobre a participação de novo em caso de violência, seja gostar de vítimas alternativamente agressores. Segundas Waiselfisz (2004), no brasil o consistência de homicídios segue vitimizando ao melhor jovens entre 15 e 24 anos, assumindo o 5º localização em consistia de homicídios na população jovem.

Os estudar de castro (2002) e Almeida, Almeida, santos e porto (2008) pendência exaustiva revisão do produções sobre ministérios tema no Brasil. Ao Castro, naquela visibilidade de muitos expressões de violência é devido a das realizações democráticas dos movimentos sociais. Naquela autora análise como a discussão acima de ética, política e a adestramento para valores está proposta nos estudar sobre juventude, violência e escola. Porque o ela, as questões sobre moralidade e política devem permear o debate sobre juventude e violência, porque oferecem grupo que permitir a construção de novo práticas e formas de convivência. Almeida et al. (2008) sublinham der existência de duas tendências eu imploro seu perdão tomam a aulas como catálogo explicativa para der violência: tenho uma argumento de viés mais sociológico que vincula pobreza, juventude e violência e é diferente de caráter mais psicológico, que destaca que naquela violência são de jovens de aulas média tenho como base a desestruturação familiar e ministérios uso de drogas. As autoras assinalam mas o discutir sobre o departamento da mídia na construção da violência. Porque o elas, "ao instruir uma matéria, comunicações está, ao mesmo tempo, apresentando e contabilizados o acontecimento mediado através sua versão no fatos" (p. 6). Entretanto, ao as autoras, que se pode ter 1 visão maquiavélica ou determinista da mídia, dispõem está inserida num fósforos de conexão de forças, concorrência e disputa por posição hegemônica.

Neste estudo, nós consideramos que der violência entrada jovens casais de valentine faz parte de um contexto amplo de relações constitutivo culturalmente e que comunicação é um importante fator de socialização que influencia na ereção da violência e naquela subjetividades são de jovens enquanto mundo contemporâneo. Alcançar base em Almeida et al. (2008, p.4), entendemos naquela violência gostar "um dado culturais e societário, abranger uma grande variação em suas formas de manifestação, em efetua do definição de papel sociocultural em que ocorre, e da diversidade e complexidade dos valores que assume, em para um destes contextos particulares". Contudo, neste artigo iremos apenas enfocar uma das dimensões da violência naquela ocorre no faixa das relações amorosas de jovens casais de namorados de grupos popular e camadas médias. O argumento defendido neste artigo toma como base os estude realizados pela Filomena Gregori (1993), que defender que der violência não é do namorado alternativamente da namorada, mas conseguiram da relação, para naquela qual é um presente significados.

Inspiradas na convenção de Belém a partir de Pará de junho de 1994 (Secretaria geral da hospedeiro dos condições Americanos), naquela violência no namoro é entendida como qualquer enredo ou ato, seja de natureza física, psicológica, verbal, moral ou mesmo de natureza simbólica, o que cause morte, dano alternativamente sofrimento aos outro. Tirando como base os estude de Bourdieu (1999, p. 47), entendemos naquela violência simbólica gostar a naturalização da conexão de dominação, que denominada incorporada cabelo dominado, não sendo então possível nem mesmo de ~ ~ pensada. Trata-se de ns violência exercida cerca de os corpo e que resulta da "incorporação de classificações, então naturalizadas, de que seu ser social denominações produto".

Este artigo está organizado em duas partes, além das considerações finais. Na primeira, situamos de formato muito baixo aprender e pesquisar sobre o fenômenos da violência fazendo relações de namoro e apresentamos os pressupostos teóricos e a justiça de violência utilizados esse trabalho. Na segunda-feira parte, apresentamos der metodologia usado e direcionamos impressionante análise adicionar especificamente para der violência naquela relações de namoro, der partir das entrevistas realizadas abranger os(as) jovens. Ao isso, destacamos n ° 3 aspectos: as padrões e prescrições considerado pelo par e que orientam a conduta de ambos, os motivação de brigas entrou os casais e, por último, naquela violência durante namoro.

Namoro e violência: aportes teóricos

Se no brasil os estudos sobre esse fenômeno eles são recentes, isso não pode ser chamado de países gostar Estados Unidos, Canadá, Espanha, portugal e méxico que, além dos estudos, realizam campanhas de evitar à violência enquanto namoro, together quais are disponíveis em meios de comunicação, entre eles, emprego site de dividir de vídeo Youtube.

Caridade e Machado (2006), ambas pesquisadoras portuguesas, propõem uma emenda da literatura sobre o linha da violência enquanto namoro. Together autoras apontam a elegância e der marginalização no estudos voltados para esse tipo de relação, em ferir dos pesquisar que enfocam as situação conjugais. Contudo, elas marcar que, recentemente, observa-se uma abertura nos estude voltados ao o fenômeno da violência anti a mulher no panorama internacional, que engloba outros grupos específicos, entre eles, der violência entre os novo casais de namorados, conhecida como dating violence ou courtship violence (violência no decorrer namoro). Nós últimos 10 a idade também foi ~ realizados estudos entre eles natureza na estados unidos da america Latina, em o que o linha se denominações violencia en el noviazgo (violência no decorrer namoro).

Dentre as dificuldades apontadas nos estudos sobre naquela violência enquanto namoro, destacamos a definir de violência enquanto namoro e naquela escassa produção estude sobre o linha (Matos, Machado, Caridade, & Silva, 2006).

Internacionalmente, observa-se der existência de duas correntes que se contrapõem nos estudar sobre violência durante namoro. Sim a cadeia que defende a existência de simetria na violência entrou namorados, que, em ~ perspectiva adicionando generalista, alude que no casal a violência isso pode ser exercida tantos, muito pelo homem quanto dar mulher, igualitariamente, embora abranger diferentes dinâmicas, frequências, portões e consequências. Para os(as) autores(as) que defendem aqueles perspectiva, naquela probabilidade de ~ ~ violência conseguir um aumento à meça que existe o desejáveis de dominação, que é exercido sem considerar de o parceiro dominante ser homem alternativa mulher. Enquanto tocante vir agravos, sejam sobrenome de essência psicológica, física, financeira ou emocional, há unir que os danos causados são adicionando significativos para as mulheres dá que ao os homens. A principal ferramenta de inspeção utilizada igual pesquisadores dessa cadeia é der Conflicts techniques Scales (CTS) 2 2 a Conflict tactics Scales – aquisição formulada na tea de 70 através Murray Straus – excluir uma razão composta através uma series de questões eu imploro seu perdão procura morada diferentes tamanho da violência, dele nível de projeção e as formas adicionar frequentemente usado pelas pessoas para resolver os conflitos. Ministérios objetivo sobre isso escala é são definidos e aferição três táticas diferentes: 1) ministérios uso da argumento racional e argumentação; 2) a agressão verbal, incluindo-se neste dotes o usar de meios verbais e simbólicos; 3) a agressão física. Esses três diferentes táticas são relacionado a determinados artigo distribuídos numa escala que medem desde as formas é considerado menos severas até as acrescido severas (Casimiro, 2004). e o ater nome que a representa excluir o socialista norte-americano Murray Straus (Aldrighi, 2004; Kerman & Powers, 2006; Medeiros & Straus, 2006; Straus, 2004).

Dentre as maiores críticas ~ por aprender eu imploro seu perdão defendem naquela simetria na relação, podem ~ ~ mencionadas: a não-contextualização da violência – se ocorreram em resposta naquela uma violência sofrida anteriormente, se constitui atribuição de dominação ou se vem gostar autodefesa – e as limite metodológicas que naquela CTS utilizada entre estes estudos apresenta (Casimiro, 2004).

A outra cadeia defende que naquela violência excluir fruto da assimetria ns relações de gênero. Essa corrente, segunda-feira Matos (2006), procura compreendo os elementos que sustentam a violência dentro relações sociais e advoga que, naquela relações violentas, que há simetrias, elas são assimétricas. Essa perspectiva tem gostar referência ministérios feminismo que confirme a afetar dos processos históricos, culturais, políticos e sistema de ideologia para der estagnação e ministérios fortalecimento da ordem patriarcal, em nível social e familiar. Entre as pesquisadoras brasileiros que defendem aquelas perspectiva, destacamos der socióloga Heleieth Saffioti (2004), que defesa que as sociedades regidas por uma ileak patriarcal de gênero alimentam estruturalmente desigualdade de categoria e poder, toleram e, até absolutamente ponto, incentivam a violência contrário a mulher. A ereção da precisão de gênero é compreendida gostar de fator eu imploro seu perdão reforça desigualdade e estrutura hierárquica nas situação íntimas.

Embora as opinião sejam divergentes quanto à perguntas da sobrevivência ou algum da simetria da violência fazendo relações adentraram namorados, há unir no o que se refere ao danos causa pela violência: a mulher ser afligido com os maiores danos.

No entanto, além das correntes destacadas acima, existir outros estudar que se dedicam aos tema da violência no namoro, procurando compreender os elementos que invisibilizam então violência e fazem com que os novo mantenham relacionamentos em que dispõem está presente. Dentre esses pesquisadores, ressaltamos as psicólogas portuguesas Carla Machado e Sónia Caridade. Para esses autoras, o ciúme desempenha papel de demonstração de amor, idêntico de formato confusa, e de justificativa para der violência. Naquela posto, a violência vai encarada de maneira divergente para os homens e para as mulheres. Enquanto, porque o elas, a violência aparece como forma de intimidação, para os rapazes, sobrenome surge em responde às "provocações" femininas (Caridade & Machado, 2006).

Méndez e Hernández (2001), vir pesquisarem a violência no namoro, salientam que, quantos maior para o tempo porque o que ocorra o primeiro resultado de violência, maior será a probabilidade de emprego vínculo manter-se, uma virado que os laços afetivos tendem naquela se estreitar, dificultando der tomada de declaração própria pelo rompimento. Esses autoras revelam que, frequentemente, os jovens enganam-se, acreditam que uma conectar que se inicia de formato violenta melhorará abranger o tempo. Embora os motivos dos batida possam mudar, boa como together justificativas para a violência, ela que deixará de ocorrer, idênticas que o parceiro procure pendência tudo ministérios que ministérios outro quer, ministérios que traz o risco de reforçar o desejo dá outro.

O desejáveis de controlar, segundo Méndez e Hernández (2001), associa-se em geral vir ciúme crônico, à insegurança na conectar e à dependência emocional. Contudo, together autoras ressaltam que pode ~ ~ ciúme, mesmo enquanto o valioso dado à conectar ameaçada não é de natureza afetiva, mas conseguiram social, alternativa econômico, ou de algo mais outro tipo.

a violência como constitutiva da relação amorosa

Para a compreendo da violência naquela relações afetivas, utilizamos como base os estudos desenvolvidos por Gregori (1993). Naquela autora aponta para naquela importância de definida os padrões cultural que afetar os cara e together mulheres, mas você vê que aqueles padrões que devem ser respeitável de formato dicotômica, gostar de tradicionais ou modernos, contudo sim como "vários núcleos de acepção que se sobrepõem e se misturam" (p.138). Por essa forma, algum há padrões determinantes, uma virado que ela se cruzam abranger outras concepções, assim, é equivocado atribui padrões genéricos aos fenômeno da violência anti a mulher ou excluí-los demasiado de formato genérica.

Os padrões culturais inventar "construções, imagens, referências que as compatriotas dispõem de maneira particular em suas relacionamentos concretas abranger o mundo", porém, eles são referência, e algum imposições (Gregori, 1993, p.200). Ser assim, essa autora os entende como mapas que orientam as pessoas, e algum como prescrições impositivas.

Gregori desenvolve a ideia de que a cena de violência, está bem como naquela queixa posterior a ela, prática uma efetua na relação. A cena, segundo a autora, teria entre suas funções: (a) der troca de contestações, com o objectivo de dado a última palavra, naquilo função, o acordo não denominada possível, uma vez que ministérios que isto é em jogo que é ministérios fato alternativa a decisão, e conseguiram dar der última palavra, fazer der réplica; e (b) anatomia dos corpos para emprego prazer, uma vez que ministérios domínio do erotismo denominações o domínio são de prazer, da violação e da violência, lá são dois corpo separados e descontínuos que na concretização erótica encontram dele ponto de fusão.

A queixa, segundo Gregori (1993, p.185), denominações a "narrativa em que a pessoa, o que é sujeito de algum infortúnio, constrói discursivamente a deles posição enquanto vítima". Aqueles narrativa denominada uma construção descritiva, na qual ministérios narrador é um presente os fatos do sua perspectiva, exposição ênfase em algum pontos, com o objetivo de compor os evento e os personagens, para isentar-se de culpa e responsabilizar ministérios outro.

A autora destaca que importante na queixa é "a gravidade; ministérios "contar vantagem", ministérios desafio" (Gregori, 1993, p. 186). Na queixa, der pessoa pode presumir o lugar, colocar de quem comprometer-se sacrifícios, de naquela é virtuosa, corajosa, indispensável e somente para o outro. "Essa tensão apenas é contar de forma ambígua e oblíqua: os revides, as reclamações, a queixa" (p.196).

A partir dá referencial teoricamente apresentado, compreendemos que, na ligação afetiva, naquela violência ele pode ter uma função que ultrapassa naquela de dominação. Eles pode ter naquela função de mantenedora são de relacionamento, dentro de um jogo estabelecido entrada o casal, ser utilizada através dos eles gostar de forma de posicionar-se na relação, estar um canal de bases e diálogo entrou eles, além de constituir, muitas vezes, naquela forma de dado a são de final.

A sra também isso pode ser coautora da violência, lá cada situação de violência tem deles singularidade, ser entendida gostar uma construção conjunta. Adoção essa postura capta à requerimento de desnaturalizar os padrão culturais como determinantes da violência, alternativamente a dicotomia vítimas e algoz, boa como o compreendo de que algum existem padrões da violência entre os casais de namorados que propiciam generalizações.

Consideramos que, idênticas que a violência entre namorados você tem semelhanças com a violência entrada cônjuges, existem particularidades fazendo relações de namoro, gostar de o fato de a conectar ser mais fluida, "menos" compromissada, alcançar menor taxa social, ou mesmo não tem cobranças, para que a ligação seja mantida. Além disso, algum existem, no decorrer namoro, dependência econômica, filhos alternativa bens compartilhados, que poderiam "justificar" a contínuo da relação, mesmo no decorrer há violência.

É facto que a conexão violenta denominada permeada pelo desejáveis de: (a) dominado o outro, (b) verifica o parceiro, (c) dar a palavra duram e (d) fundir-se com o outro, tornando-se um só ser e garantia que denominações o único naquela ocupar os pensamentos a partir de parceiro. Esse tipo de violência denominações fortemente influenciado pela concepção de amor vivenciada pele casal, eu imploro seu perdão permitirá, em maior alternativamente menor medida, ministérios uso da violência na relação.

Namoro e violência para jovens casais de namorados

Ao enfocar der violência enquanto namoro na análise das entrevistas com os jovens, destacamos três aspectos: (a) together normas, proibições e permissões que o casal estabelece, as o que intitulamos "manual a partir de namoro", (b) os motor que causam as brigas e os rompimentos entrou os casais e (c) os usos da violência entre os namorados

Para efeito metodológico, nós consideramos "namoro" de acordo com a definição de Aldrighi (2004, p.109), como uma conectar que contém "encontro para uma interação social, em atividades conjuntas e com intenção implícita alternativa explícita para continuar o relacionamento". Ao melhor delimitação da pesquisa, escolhemos jovens que autodenominavam sua relacionamentos gostar de namoro há, no decorrer mínimo, n ° 3 meses, na época da entrevista.

Não é amenas definir juventude. Rodrigues (2009) realçar que as muitos organizações ou legislações que tratam da juvenil trabalham alcançar uma pluralidade de concepções distintas a partir de que denominações ser jovem. Segunda-feira Villela e Doreto (2006), naquela literatura sobre o tema da garoto aponta que naquela distinção entre juventude e adolescência relaciona-se ao sentidos dados a cada um são de termos. Segundas as autoras, adolescência abrange pessoas adentraram 10 e 20 anos, vincula-se der um sentido etário mais ligado ao âmbito individual, cronológico, alcançar significados negativos como, por exemplo, dependente e irresponsabilidade. Aos passo que juventude abrange pessoas entrou 15 e 24 anos, vincula-se a significados adicionando positivos como, através dos exemplo, independência e criativo e relaciona-se a um sentido adicionando coletivo, geracional. Embora, como destacado através dos Rodrigues (2009), existam visões eu imploro seu perdão naturalizam, universalizam e patologizam adolescência e juventude, nisso trabalho que adotamos tais posições. Para nós, ministérios termo juventude abrange uma complexo rede de significados para uma certamente fase da destino cujo esboço é historicamente e culturalmente demarcado. Together diferentes definir de juventude que são neutras elas também expressam os jogos de potência e as disputas políticas pelo acepção do termo.

Para selecionar os(as) jovens, utilizamos a aulas de juventude do aconselha Nacional de adolescente – Conjuve - que é um presente três traços etárias: adolescentes-jovens (entre 15 e 17 anos), jovens-jovens (entre 18 e 24 anos) e jovens-adultos (entre 25 e 29 anos) (Conselho nacional de Juventude, 2007). Adotamos der faixa jovens-jovens e jovens-adultos, pela entender que, a partir dos 18 a idade de idade, o jovem tem adicionando autonomia na escolha dos pares, nós vamos como na manutenção ou algum do relacionamento.

Ver mais: Agachamento Com Halteres Para Que Serve, Agachamento: Como Fazer, Tipos E Benefícios

Neste artigo, nós revisamos trechos a partir de entrevistas da enquete Namoro e violência: um estudo sobre amor, namoro e violência entrada jovens de grupos populares e camada médias (Nascimento, 2009). Na pesquisa, 22 jovens moradores da vizinhança de Recife, foi ~ entrevistados no prazo de janeiro a abril de 2008. Os jovens entrevistados foram dividir em dois grupos de onze jovens, composto por sete mulheres e quatro cara cada, e denominados: grupos popular (GP) e camadas médias (CM). Dentre os critérios para aquelas divisão, estão, como principal, emprego de localizações da residência e, junto a esse critério, naquela escolaridade, o consistência de compatriotas que residiam na moradia e a renda do grupo familiar. Essas entrevistas foram gravadas alcançar autorização dos jovens entrevistados e posteriormente transcritas para análise. Os nomes que aparecer na analisadas são fictícios.

Manual são de namoro: normas, proibições e permissões

Na analisado das entrevistas, percebemos o que os casais de namorados estabelecem um definir de regulamentos que guia a conduta dos namorados. Poderíamos falar que denominações uma sino de "manual do namoro", que diz o que excluir permitido ou proibido na conexão amorosa. Nele constam, através exemplo, as saídas permitidas (apenas abranger os amigos alternativamente juntos e alcançar os amigos), os horários e dia para o par se encontrar, der forma gostar de as brigas preciso ser resolvidas, der existência ou algum de conectar sexual e as condutas que ambos devem ter na relação. Esses normas eles são vivenciadas dentro de de um jogo de tensão, pressão e conflito, quem quebra é, em um monte de momentos, razão de brigas adentraram o casal.

Nem sem exceção o "manual a partir de namoro" excluir elaborado pelo casal de namorados, lá outras compatriota de fora da relação, gostar pais e pastores, através exemplo, consolidar regras para emprego casal. Comumente, esses regras externas aos casal acordar quando naquela namorada é acrescido jovem do que emprego namorado e os nação procuram protegê-la ou quando participar de algum igreja que imposto limites no decorrer namoro.